Bombeiros de Lourosa sob ameaça de penhora

0

Incêndio ColômbiaOs bombeiros de Lourosa foram alvo de uma execução fiscal para o pagamento de 360 mil euros relativo ao tratamento de um bombeiro que sofreu ferimentos num incêndio, em 2010, em Gondomar.

Os bombeiros de Lourosa, no distrito de Aveiro, ficaram cercados pelas chamas e, passados três anos, nem o seguro nem o fundo social do bombeiro, quiseram custear os tratamentos.

Agora, a corporação arrisca-se a ficar com os veículos de socorro e com o quartel penhorado. Um oficial de justiça já esteve no quartel de Lourosa para executar a dívida de 360 mil euros e penhorar os bens da corporação.

Uma penhora que leva Rui Silva, presidente da Associação Portuguesa de Bombeiros Voluntários, a questionar o valor e a qualidade dos seguros. Opinião idêntica tem Fernando Curto, presidente da Associação de Bombeiros Profissionais.

A TSF contactou a Proteção Civil que não se quis pronunciar sobre este caso. Certo é que o seguro dos bombeiros apenas cobre tratamentos até dez mil euros, muito longe do que foi gasto com o bombeiro que recebeu tratamento num hospital especializado em queimados.

Quando assim acontece, cabe ao Fundo Social do Bombeiro pagar a conta, mas a Liga de Bombeiros, que administra o fundo com verbas transferidas pela Proteção Civil, não aceita a fatura e contesta o pagamento.

FONTE: TSF

 




Sobre quem enviou a noticia

Sérgio Cipriano

Sérgio Cipriano

Natural de Gouveia e licenciado em Comunicação Multimédia pelo Instituto Politécnico da Guarda. Ingressou nos bombeiros com apenas 13 anos de idade e hoje ocupa o cargo de sub-chefe. É um dos fundadores da Associação Amigos BombeirosDistritoGuarda.com e diretor de informação do portal www.bombeiros.pt, orgão reconhecido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social.