Bombeiros de Foz Côa perdem Equipa de Intervenção Permanente

0

Os Bombeiros de Vila Nova de Foz Côa são os primeiros do distrito da Guarda a assumir a dissolução da Equipa de Intervenção Permanente (EIP).

As EIP foram a resposta por parte do Governo e Municípios a uma pretensão das Associações Humanitárias de Bombeiros que exigiam um maior investimento nos Corpos de Bombeiros. Para que o estado de prontidão fosse uma realidade, criaram-se equipas que responderiam de forma imediata a situações de socorro. O financiamento destas equipas foi assumido em partes iguais pelo Governo (através da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção e Socorro – ANEPC) e pelos municípios que aceitassem.

Criada no ano de 2018, depois dos grandes incêndios de outubro de 2017, a EIP de Vila Nova de Foz Côa iniciou funções no dia 1 de Junho. Sabe o Portal Bombeiros.pt que todos os funcionários (elementos) da EIP de Vila Nova de Foz Côa já foram notificados por escrito e cessam funções no dia 6 de Junho do presente ano (cerca de dois anos depois do seu início).

A direcção da Associação Humanitária terá sido forçada a assumir esta posição devido ao subsídio concedido pelo Município apenas cobrir o funcionamento da EIP. Terá, na leitura que fazemos, optado por manter um subsídio geral do município e não o específico para a manutenção daquela equipa.

Este é o primeiro caso conhecido de uma equipa que vê a sua missão terminada devido a constrangimentos financeiros. O Portal Bombeiros.pt sabe que há outras EIP no distrito da Guarda que serão encerradas devido a constrangimentos financeiros e à falta de justificação devido à fraca actividade.

O Portal Bombeiros.pt pediu esclarecimentos à Associação Humanitária e ao Município de Vila Nova de Foz Côa, sendo que os mesmos serão publicados assim que forem dados pelas respectivas entidades.

About author

Daniel Rocha

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda. Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).