Bombeiros de Foz Côa com comandante em regime de substituição

0

Rafael Almeida, Subchefe e antigo Comandante do corpo de Bombeiros de Foz Côa, assumiu a função de comandante em regime de substituição depois da demissão do Comandante Nuno Figueirinha e do Adjunto António Nevado.

Depois de “apanhados de surpresa” pelo pedido de demissão dos elementos do comando do Corpo de Bombeiros no passado dia 2 de novembro, a Direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Nova de Foz Côa (AHBVVNFC) deu ontem nota pública de que “em regime de substituição sucede o elemento mais graduado do Corpo de Bombeiros, Subchefe Rafael Almeida”.

Em nota publicada na página do Facebook do corpo de bombeiros, Rafael Almeida decidiu prestar um conjunto de informações à comunidade que aqui transcrevemos de seguida:

O Corpo de Bombeiros de Foz Côa mantém-se enquanto unidade orgânica, organizada e estruturada para o desempenho das suas missões consignadas em lei. Dessa forma, e porque somos lúcidos da responsabilidade que temos no seio comunitário, vamos continuar a garantir o socorro, com principal incidência nas respostas de âmbito pré-hospitalar, incêndios, acidentes e outros de natureza diversa.

Relembramos que somos uma estrutura assente em bases de disponibilidades voluntárias e consequentemente com recursos finitos, o que poderá criar uma maior dificuldade em alguma ocorrência de maior dimensão, mas também não negando as dificuldades de resposta, pontualmente, em casos mais específicos, mas assumimos o compromisso de manter um nível adequado à expectativa, diluída pelos cerca de 40 operacionais que se mantêm no activo.

Até ao final do mês de Novembro, salvo indicações da DGS ou superiores interesses de relevo, o corpo de bombeiros irá reunir com base nos princípios e ideias que devem ser praticadas neste organismo e, de forma democrática e consensual ouvindo também para efeitos de ponderação elementos do quadro de honra e quadro de reserva cujos seus níveis de comprometimento são bastante acentuados, determinar metodologias de trabalho a curto e médio prazo.

Será também elaborado um relatório interno para avaliação da situação, com conhecimento posterior à AHBV e às diversas forças políticas, bem como início e a continuidades de projectos já em andamento que não careçam de reformas sistémicas.

Assumirei individualmente e de forma exclusiva todas as situações que de menos positivo eventualmente possam ocorrer sob responsabilidade das missões do Corpo de bombeiros, diluindo por todos os operacionais os êxitos alcançados, pois eles são, indubitavelmente, o génese da existência desta Associação Humanitária e são esses homens e mulheres que jurei defender sempre, independentemente do meu estrato na pirâmide da graduação.

Uma palavra de confiança aos operacionais do Corpo de Bombeiros que, determinantemente, souberam manter a sua obrigação cívica e a sua responsabilidade, independentemente de algumas adversidades. Isso só prova a enorme “raça” de que são feitos. Especial carinho para as suas famílias.

Uma última palavra de agradecimento ao Comandante Nuno Figueirinha pelo trabalho desenvolvido em prol do colectivo e uma palavra saudosamente especial ao Adjunto de Comando António Nevado que durante mais de 20 anos foi um profissional exemplar e sacrificou imensas vezes a vida pessoal em detrimento do colectivo e naquilo em que ele acreditava.

O meu/nosso, muito obrigado.

Obviamente que a porta está sempre aberta, não só a eles, como a todos que assim desejem, pois os bombeiros e a sua Associação não se esgotam no individualismo – bombeiro uma vez, bombeiro sempre.

Vila Nova de Foz Côa, 16 de Novembro
Comandante em substituição
Subchefe Rafael Almeida”

About author

Daniel Rocha

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda. Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).