Bombeiros continuam os eternos esquecidos

0

À porta de novo período de fogos florestais a Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) constata que, aparte todos os responsáveis governamentais elogiarem o papel único dos bombeiros, no fim, estes continuam a ser tratados como “filhos de um deus menor” e eternos esquecidos quando se trata de concretizar apoios e obter ferramentas fundamentais para a execução das suas missões.

Ainda recentemente, a LBP marcou uma posição clara e inequívoca a propósito do Plano de Recuperação e Resiliência e do Programa Nacional de Ação do Plano Nacional de Gestão Integrada de Fogos Rurais, a propósito dos quais deu contributos que foram pura e simplesmente ignorados. No final, a LBP concluiu serem, só por si, uma grave ofensa, mais uma, aos Bombeiros Portugueses, como uma novela em que se sucedem tristes e repetitivos episódios de desrespeito para com eles.

E, se já não bastasse tudo isso, no próximo sábado, o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) vai proceder à entrega de maquinaria às organizações de produtores florestais no âmbito do trabalho de prevenção estrutural na floresta, medida que, à partida, a LBP até reconhece poder ser útil, se deles se obtiver o rendimento e os resultados necessários.

E, a propósito disso, a LBP lembra a máxima de sua autoria, “Os Fogos evitam-se, não se combatem”.

Contudo, o que a LBP lamenta é que, quando chega a vez dos bombeiros, quando ainda chega, o apoio traduz-se em migalhas, se comparado com as necessidades perfeitamente identificadas e reconhecidas por todos.

Para a LBP, todos contam de tal modo com os bombeiros, como dado adquirido, que, repetidamente, nem cuidam de saber e satisfazer as suas necessidades como é dever e obrigação do Estado através dos vários Governos.

Nas medidas entretanto anunciadas pelo Governo no âmbito da floresta enche-se mais uma vez a boca com milhões de euros em que, à partida, os bombeiros já serão os menos apoiados, ficando por saber, no fim e de fato, que apoios é que virão a concretizar-se. A experiência do passado legitima e justifica plenamente a revolta da LBP.

Os Bombeiros Portugueses não estão dispostos a pactuar com tal estado de coisas, com as sucessivas demonstrações de desrespeito para com eles. A quem está na linha da frente de uma “guerra” não se pode negar as indispensáveis “armas” e outros equipamentos. Mas é assim que os Bombeiros se sentem e que a LBP não deixará de denunciar e exigir.

Analisados os ditos Planos a LBP conclui terem uma matriz comum relativa ao ostracismo a que votam os Bombeiros e à falta de apoios que lhes disponibilizem, razão pela qual vem a propósito lembrar o Povo quando diz, e bem, que “Não chegam nem para mandar cantar um cego”.

Lisboa, 18 de Março de 2021

O Presidente

Jaime Marta Soares

Comandante

About author

Paulo Reis

Paulo Reis

É natural e residente em Esmoriz, a sua vida profissional está ligada à indústria automóvel nestes últimos 25 anos como CAD Designer. É um dos fundadores da Rádio Voz de Esmoriz, onde apresentou o programa de rádio “Bombeiros em Missão”. Está ligado desde tenra idade aos Bombeiros de Esmoriz onde fez parte da orquestra do Grupo Cénico e hoje, ocupa o posto de Subchefe. Foi responsável pelo Grupo de Comunicação & Imagem dos BV Esmoriz e integrou a equipa do portal bombeirosdeportugal.com. É o responsável do Departamento de Relações Públicas do portal Bombeiros.pt