Bombeiros de Abrantes feridos Mouriscas

0

Dois bombeiros de Abrantes sofreram esta tarde queimaduras de 1º e 2º grau na aldeia de Lercas, no combate ao incêndio que lavra na freguesia de Mouriscas, tendo um deles sido transferido para Lisboa, não correndo perigo de vida.

“Os dois elementos feridos estavam com um autotanque de Abrantes e sofreram queimaduras de 1º e 2º grau, num braço e numa mão, e um outro numa perna, no combate ao incêndio que lavra em Lercas”, Mouriscas, concelho de Abrantes, disse ao mediotejo.net fonte do comando de operações.

Contactada pelo mediotejo.net, a presidente da junta de freguesia de Mouriscas, Teresa Dinis, disse, cerca das 17:00, que a situação mais complicada na freguesia decorre no lugar de Murteira. “Em Lercas está praticamente controlado”, acrescentou.

O incêndio em Abrantes é proveniente do que começou às 00:01 de quarta-feira no concelho de Mação e que também já se propagou para o Sardoal.

Contactado pela Lusa, a presidente da Câmara Municipal de Abrantes, Céu Albuquerque, disse que o fogo encontra-se com “uma frente ativa entre as aldeias de Lercas e de Entre Serras” e tem “vários pontos quentes”.

Segundo a autarca, há registo de “muitas reativações”.

Maria do Céu Albuquerque disse ainda que o incêndio lavra, “para já, sem perigo para as populações”, ainda que se mantenham desde quarta-feira 28 pessoas realojadas, preventivamente, nas instalações da Santa Casa da Misericórdia de Abrantes e do Regimento de Apoio Militar de Emergência.

“O vento que se faz sentir é muito forte e estamos neste momento com meios preposicionados para podermos combater eventuais projeções e evitarmos que este incêndio propague a outras regiões”, avançou a presidente da Câmara.

Relativamente ao concelho de Sardoal, o fogo lavra ao longo da freguesia de Alcaravela, desde o lugar de Tojeira até a aldeia de Vale Formoso, com vários reacendimentos, alguns deles preocupantes, afirmou o autarca Miguel Borges.

“O grande desafio é a capacidade de resposta perante os reacendimentos que possam surgir”, declarou à Lusa o presidente da Câmara de Sardoal, sublinhando que a temperatura está muito elevada e o vento sopra com alguma intensidade.

Segundo o autarca de Sardoal, “nota-se colunas de fumo muito grandes e de muita extensão”.

Miguel Borges disse que não há registo de feridos, nem danos em habitações, informando que foram retiradas 30 pessoas das habitações, por questões de segurança.

Em declarações à Lusa, o vice-presidente da Câmara Municipal de Mação, António Louro, disse que o “incêndio continua descontrolado e tem três frentes ativas a lavrar com muita intensidade perto das aldeias de Rosmaninhal, Serra, e de Mação, em Cabeça da Cruz”.

Pelas 17:15 estavam no terreno a combater as chamas 1.005 bombeiros, apoiados por 290 veículos terrestres e 13 aéreos.

Lusa




Sobre quem enviou a noticia

Sérgio Cipriano

Sérgio Cipriano

Natural de Gouveia e licenciado em Comunicação Multimédia pelo Instituto Politécnico da Guarda. Ingressou nos bombeiros com apenas 13 anos de idade e hoje ocupa o cargo de sub-chefe. É um dos fundadores da Associação Amigos BombeirosDistritoGuarda.com e diretor de informação do portal www.bombeiros.pt, orgão reconhecido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social.