Bombeiro de Miranda do Douro continua com prognóstico reservado

0
Imagem TVI 24

Imagem TVI 24

O comandante dos Bombeiros de Miranda do Douro rejeita responsabilidades no acidente do incêndio dos Cortiços, que deflagrou no passado dia 16, onde quatro bombeiros ficaram feridos, um deles com gravidade, que ainda se encontra internado no Hospital da Prelado, no Porto, com prognóstico reservado. Neste incêndio a corporação do Planalto perdeu ainda uma viatura que foi consumida pelas chamas.

O comandante dos Bombeiros de Miranda do Douro rejeita responsabilidades no acidente do incêndio dos Cortiços, que deflagrou no passado dia 16, onde quatro bombeiros ficaram feridos, um deles com gravidade, que ainda se encontra internado no Hospital da Prelado, no Porto, com prognóstico reservado. Neste incêndio a corporação do Planalto perdeu ainda uma viatura que foi consumida pelas chamas.

Luís Martins disse à Lusa que o acidente resultou de uma falha do Comandante Permanente de Operações (CPO), em funções nesse momento, que não terá feito “o devido reconhecimento do terreno antes de mandar avançar os veículos, como foi estipulado no início da época de incêndios”.

Ao que conseguimos apurar, na altura do acidente era o comandante dos Bombeiros Voluntários de Vimioso, António Sutil, que assumia as funções de CPO.
Luís Martins afirma que a equipa dos bombeiros de Miranda do Douro “fez o que lhes foi ordenado” e pede mesmo a suspensão do CPO até à conclusão do inquérito que está em curso para apurar os responsáveis e causas do acidente.

Contactados pelo Jornal NORDESTE, o Comandante dos Bombeiros de Vimioso e de Miranda Douro, e o Comandante de Operações de Socorro não quiseram prestar declarações, remetendo esclarecimentos para a altura em que o inquérito estiver concluído.

No âmbito deste inquérito, na passada quinta-feira, esteve no local do incêndio uma equipa da Autoridade Nacional da Protecção Civil, que ouviu os intervenientes no processo.

O assessor de imprensa desta autoridade referiu ao Jornal NORDESTE que o “processo está em segredo de justiça”, remetendo também esclarecimentos para quando estiver concluído este inquérito.

(Fonte: Jornal Nordeste)

 




Sobre quem enviou a noticia

Daniel Rocha

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda, mas foi em Famalicão da Serra que cresceu e conheceu o mundo dos bombeiros integrando o corpo activo. É Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, e possui um Curso de Especialização em Ensino de Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS), ambos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades, entre as quais o teatro e a escrita, tendo publicado com alguma regularidade desde 2011. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).