Boas práticas. Bombeiros desafiados a pensar “fora da caixa”

0

IMG_1674Protecção Civil lança concurso de ideias que podem melhorar o trabalho e ajudar a salvar vidas.

A Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) desafia os bombeiros a mostrarem as boas práticas de segurança e saúde que já aplicam no dia-a-dia ou que gostassem de ver aplicadas dentro dos quartéis, através de um concurso de ideias que dará cinco mil euros à corporação vencedora.

A Protecção Civil reconhece que é uma tentativa para pôr estes temas na agenda, para forçar os bombeiros a pensar nas práticas que vão para além das regras pré-definidas e dos manuais e procedimentos técnicos tão comuns neste sector.

Num contexto virado quase exclusivamente para a vida interna dos corpos de bombeiros, sejam voluntários ou profissionais, procuram-se ideias que podem, no limite, salvar vidas.

Rui Ângelo, responsável pela gestão do Prémio de Boas Práticas, explica que serão aceites candidaturas relativas à segurança rodoviária, à intervenção pré-hospitalar, às instalações dos corpos de bombeiros, ao transporte de doentes e ao combate a incêndios florestais, urbanos e industriais.

Neste último caso, por exemplo, há muita coisa que os bombeiros podem fazer para além das regras que já existem.

“O esforço de um bombeiro após três horas de combate a um incêndio florestal é  semelhante ao esforço despendido por um atleta numa meia-maratona e, falando também das exigências emocionais, o stress a que um bombeiro está sujeito numa frente de combate de um incêndio florestal é semelhante ao stress de um cenário de guerra. Por isso, uma boa prática é, por exemplo, assegurar a correcta desmobilização das equipas de combate em termos de hidratação, alimentação, gestão da fadiga e do stress”, explica Rui Ângelo.

O mesmo acontece com o transporte de doentes, actividade que representa parte significativa do trabalho diário dos bombeiros portugueses.

“Aí é muito ao nível da formação ao nível de ergonomia. O que nós procuramos aqui são práticas que vão evitar aquelas lesões que não são propriamente acidente, que são pouco faladas, mas que a estatística comprova que são muito frequentes, ao nível de lesões musculo-esqueléticas como as lombalgias ou outro tipo de patologia a o nível físico que pode ser evitada”, diz Rui Ângelo.

A Autoridade Nacional de Protecção Civil vai aceitar candidaturas até 30 de Setembro. O vencedor vai ser anunciado em meados de Novembro.

A corporação de bombeiros que conseguir o troféu das boas práticas 2015 vai ganhar, também, cinco mil euros em equipamentos de segurança e saúde.

(Fonte: Rádio Renascença)

 




Sobre quem enviou a noticia

Ana Romaneiro

Ana Romaneiro

Nasceu em Évora onde cresceu e estudou. Desde muito cedo que partilha o gosto pela informática, que, a levou a tirar um curso profissional técnico de Gestão de Sistemas Informáticos, profissão que exerce na atualidade. A sua ligação aos bombeiros surge aos 13 anos ao entrar na fanfarra dos Bombeiros de Évora, onde permaneceu até 2013. Na atualidade integra a corporação os Bombeiros de Reguengos de Monsaraz, no posto de bombeira de 2º.