Balaço DECIF Viseu: “2014 foi um ano excelente em termos de combate aos incêndios florestais “

0

helicopteroBalanço Final do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF) 2014 para o distrito de Viseu

 Comandante Operacional Distrital de Viseu, Lúcio Campos, faz balanço extremamente positivo:

Ao terminar este ano 2014 e face á implementação do DECIF, impõe-se, ao CDOS Viseu, fazer um balanço final que poderá ser resumido de extremamente positivo.

Na verdade, e tendo particularmente em consideração o último ano (2013), poderemos afirmar que 2014 foi um ano excelente em termos de combate aos incêndios florestais no nosso distrito, nomeadamente por se terem registado ZERO baixas nos operacionais envolvidos.

Tendo sido este o principal objetivo para este ano, foi assim plenamente atingido!

A nível nacional, em 2014, registaram-se 7237 incêndios florestais que resultaram em 19.910 hectares (ha) de área ardida.

No distrito de Viseu ocorreram 640 incêndios resultando em cerca de 1100 ha de área ardida. (Em 2013 registaram-se 2221 incêndios resultando em mais de 42.000 ha de área ardida)

Relembra-se que neste ano 2014, no distrito de Viseu, estiveram envolvidos 650 operacionais e 150 viaturas, entre Bombeiros, GIPS/GNR e Equipas de Sapadores Florestais.

Durante a Fase Charlie (Julho a Setembro) foram constituídas e prontas a intervir, em permanência, 61 Equipas de Combate a Incêndios (ECIN) e 21 Equipas Logísticas de Apoio ao Combate (ELAC), num total de cerca de 350 Bombeiros, apoiados por 85 viaturas.

No distrito de Viseu estiveram igualmente posicionados seis (06) meios aéreos: três (03) Helicópteros Ligeiros, um (01) Helicóptero Pesado e dois (02) aviões anfíbios médios.

Podemos garantir que o DECIF 2015 já começou a ser preparado.

Não se pode, nem deve, “adormecer” nos resultados de 2014.

É um imperativo continuar a apostar na formação e segurança dos Bombeiros, nas ações de prevenção e sensibilização, na manutenção e limpeza da floresta. São fatores que fazem parte de um processo contínuo e permanente, pois a proteção e socorro das populações assim o exige.

(exerto da nota enviada à Comunicação Social)

 




Sobre quem enviou a noticia

Mónica Costa

Mónica Costa

É natural de Tabuaço, licenciada em Comunicação e Relações Económicas e Mestre em Marketing e Comunicação. Foi jornalista na Rádio F até 2013 e apesar de nunca ter estado diretamente ligada ao mundo dos bombeiros, acompanhou sempre com um enorme respeito e admiração o seu trabalho. Na atualidade integra a equipa da Direção informativa do portal bombeiros.pt.