Apenas quatro entidades são apontadas pela PJ como negligentes

0

Ministério Público deve avançar com acusações de homicídio por negligência.

A Polícia Judiciária encontrou indícios de negligência de quatro entidades no caso da morte de 64 pessoas, vítimas dos incêndios de Pedrógão Grande. A notícia é avançada na edição desta sexta-feira do jornal “Correio da Manhã”.

De acordo com o jornal, as autoridades policiais apuraram, através de uma investigação, que os meios de socorro, a Protecção Civil, os elementos da Guarda Nacional Republicana que ordenaram que os automobilistas fossem para a EN236-1 e a Ascendi, responsável pela limpeza das bermas, revelaram negligência.

O “Correio da Manhã” torna públicos indícios do inquérito que está a ser acompanhado pelo Ministério Público de Coimbra e levou a que fossem ouvidas quase 100 testemunhas, que confirmaram à PJ um conjunto de falhas que causaram a morte das 64 pessoas.

Segundo o matutino, o Ministério Público de Coimbra dever avançar com acusações de homicídio por negligência.

O incêndio que deflagrou em Pedrógão Grande no dia 17 de Junho, no distrito de Leiria, provocou pelo menos 64 mortos e mais de 200 feridos, e só foi dado como extinto uma semana depois.

Mais de dois mil operacionais estiveram envolvidos no combate às chamas, que consumiram 53 mil hectares de floresta, o equivalente a cerca de 75 mil campos de futebol.

O fogo chegou ainda aos distritos de Castelo Branco, através da Sertã, e de Coimbra, pela Pampilhosa da Serra e Penela.

(Fonte: RR)




Sobre quem enviou a noticia

Daniel Rocha

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda, mas foi em Famalicão da Serra que cresceu e conheceu o mundo dos bombeiros integrando o corpo activo. É Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, e possui um Curso de Especialização em Ensino de Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS), ambos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades, entre as quais o teatro e a escrita, tendo publicado com alguma regularidade desde 2011. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).