Alunos do 9º ano doam mealheiro aos bombeiros de Castanheira de Pera

16 finalistas vão oferecer dinheiro arrecadado para viagem aos voluntários locais.

Quando, no início do ano letivo, os 16 alunos da turma 9º A da escola Dr. Bissaya Barreto, em Castanheira de Pera, começaram a fazer um mealheiro, o objetivo era ajudar a financiar a sua viagem de finalistas do 3º ciclo ou um jantar para todos. Mas, no início do terceiro período, o aluno Daniel Fonseca – primo direito de Gonçalo Conceição, o bombeiro que morreu no incêndio – deu uma ideia unanimemente aceite pelos colegas: usar a verba numa ação social, entregando-a aos Bombeiros Voluntários de Castanheira de Pera.

“Orgulha-me a humanidade que estes jovens mostraram muito antes de se imaginar a tragédia”, diz ao CM o professor Paulo Silveiro, diretor de turma. A entrega dos pouco mais de 300 euros iria ser concretizada hoje, após o exame de português entretanto adiado. “Venderam bolos, sumos, sortearam rifas e recentemente organizaram mais um sorteio de um cabaz, visando aumentar a receita para os bombeiros”, explica. Muitos dos alunos estão agora marcados pela tragédia.

O caso de Beatriz Damásio é o mais dramático: a aluna nº 4 perdeu a mãe, Eliana, o pai, António e o tio, Nelson, apanhados pelas chamas em Sarzedas de São Pedro. “A maioria dos professores e alunos da escola percorrem todos os dias aquela a que agora se chama a estrada da morte”, afirma Paulo Silveiro.

A entrega da ajuda aos Bombeiros de Castanheira de Pera está adiada. “Mas vai fazer-se. Por vezes critica-se a falta de valores desta geração, mas há jovens assim que nos sensibilizam e orgulham”, assegura.

CM

 




Sobre quem enviou a noticia

Sérgio Cipriano

Sérgio Cipriano

Natural de Gouveia e licenciado em Comunicação Multimédia pelo Instituto Politécnico da Guarda. Ingressou nos bombeiros com apenas 13 anos de idade e hoje ocupa o cargo de sub-chefe. É um dos fundadores da Associação Amigos BombeirosDistritoGuarda.com e diretor de informação do portal www.bombeiros.pt, orgão reconhecido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social.