Aldeia ameaçada nove anos depois

0

Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

Vegetação húmida terá impedido uma tragédia como a que ocorreu em 2005. Fogo foi dominado por mais de 100 bombeiros, quatro aviões e um helicóptero.

Assim que a população viu as chamas às portas da aldeia de Telhe em Janarde, Arouca, vieram à memória os momentos de terror vividos nove anos antes (em 2005) quando as chamas cercaram a povoação. Ontem, o fogo que deflagrou pelas 14h30 chegou a rondar as casas, mas desta vez a rápida intervenção dos bombeiros impediu o pior.

No terreno estiveram mais de uma centena de operacionais de várias corporações de bombeiros do distrito de Aveiro, apoiados por um helicóptero e quatro aviões. “As chamas andaram muito perto das casas e receámos que tivéssemos de passar pelo mesmo pesadelo que vivemos há nove anos”, contou, assustado, um morador da aldeia, ao final da tarde, quando os bombeiros já tinham o fogo dominado. Baldes, mangueiras e alfaias agrícolas, tudo serviu para ajudar os operacionais no combate ao incêndio que chegou a ter labaredas com mais de 15 metros de altura. A muita humidade que ainda havia na vegetação, por causa da chuva que caiu nos últimos dias, terá impedido uma tragédia, como a de 2005, quando arderam mil hectares de floresta e o fogo chegou às ‘portas’ da vila de Arouca.

“Apesar de uma das duas frentes lavrar numa zona sem acessos para as viaturas, a humidade impediu a propagação rápida das chamas e permitiu que o combate fosse eficaz”, explicou ao CM Floriano Amaral, comandante dos Bombeiros de Arouca. A área ardida vai ficar em vigilância durante o dia de hoje.

FONTE: CM




Sobre quem enviou a noticia

Sérgio Cipriano

Sérgio Cipriano

Natural de Gouveia e licenciado em Comunicação Multimédia pelo Instituto Politécnico da Guarda. Ingressou nos bombeiros com apenas 13 anos de idade e hoje ocupa o cargo de sub-chefe. É um dos fundadores da Associação Amigos BombeirosDistritoGuarda.com e diretor de informação do portal www.bombeiros.pt, orgão reconhecido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social.