Cerca de meio milhar de funcionários da administração regional dos Açores estão de prevenção devido à aproximação do furacão Ofélia, segundo afirmou o presidente do governo da região, Vasco Cordeiro.

“Neste momento, andam à volta dos 500 homens da administração regional dos diversos serviços que estão de prevenção” nas sete ilhas dos grupos central e oriental, afirmou Vasco Cordeiro, que visitou a base de comando avançado do Serviço Regional de Proteção Civil, instalada no quartel dos bombeiros de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel.

Vasco Cordeiro destacou que o arquipélago vai estar sujeito a “duas situações distintas que se conjugam, uma frente que conduzirá a uma maior intensidade de precipitação, e o furacão Ofélia que, sobretudo ao nível do vento, também inspira algumas preocupações”.

Segundo o chefe do executivo açoriano, “numa fase inicial foi colocado de prevenção um conjunto de serviços da administração regional no grupo oriental”, ilhas de Santa Maria e São Miguel, e foi posteriormente “alargado esse estado de prevenção ao grupo central”, Faial, Pico, Terceira, Graciosa e São Jorge, “sobretudo por razões que têm a ver com a elevada precipitação que se prevê a partir do meio-dia” de hoje nestes dois grupos.

Vasco Cordeiro adiantou que os serviços que “estão de prevenção envolvem diversos departamentos” do Governo Regional, das obras públicas à saúde, do ambiente à agricultura, das pescas aos portos.

“Traduzem-se, do ponto de vista prático, num conjunto de precauções e também na relocalização de equipamento, sobretudo em algumas zonas críticas da ilha de São Miguel, para qualquer eventualidade”, explicou, adiantando que vão ser encerradas algumas estradas nesta ilha, a maior do arquipélago dos Açores.

Segundo o governante, trata-se de “preparar para o pior, esperando o melhor”, e salientou que “a prevenção mais eficaz, além daquela que envolve a administração pública regional e local, os serviços municipais de Proteção Civil, os bombeiros”, é a que cada um pode fazer, “seguindo as orientações que as entidades competentes emitem”.

Seguir as recomendações

O presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, apelou também à população para seguir as recomendações das autoridades em relação ao furacão Ofélia, que deverá passar pelo arquipélago este sábado.

“O facto dos Açores serem periodicamente assolados por esse tipo de fenómeno não pode nem deve ser um motivo para descurarmos esses cuidados. Cada situação é uma situação em si mesma e, portanto, em cada situação, as pessoas devem seguir o melhor possível, da forma mais eficaz que for possível, as recomendações das autoridades, nomeadamente do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores”, adiantou Vasco Cordeiro.

O presidente do Governo açoriano visitou esta noite a base de comando avançado do Serviço Regional de Proteção Civil, instalada no quartel dos bombeiros de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel e revelou que “neste momento, andam à volta dos 500 homens da administração regional dos diversos serviços que estão de prevenção” nas ilhas dos grupos central e oriental.

Vasco Cordeiro afirmou que o arquipélago vai estar sujeito a “duas situações distintas que se conjugam, uma frente que conduzirá a uma maior intensidade de precipitação, e o furacão Ofélia que, sobretudo ao nível do vento, também inspira algumas preocupações”.

O centro do furacão Ofélia deverá estar às 18:00 de hoje (mais uma hora em Lisboa) a 155 quilómetros de Santa Maria, nos Açores, em categoria 1 (a mais baixa), anunciou Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O IPMA colocou, entretanto, as sete ilhas dos grupos oriental e central sob aviso vermelho devido à possibilidade de chuva forte.

(Fonte: TVI24)