Acidente aparatoso provoca três feridos em Gandra

0

Um violento acidente ocorrido em Gandra, Paredes, provocou três feridos. O choque entre duas viaturas aconteceu ao início da tarde desta sexta-feira e obrigou ao corte parcial da Estrada Nacional 15 que atravessa aquela cidade.
28 bombeiros das corporações de Baltar e Rebordosa foram mobilizados para o local.

Viatura começou a arder

SONY DSCFaustino Pacheco, de 37 anos, saiu de casa ao volante do seu Ford Focus ainda não eram 14h00. Ia levar a esposa, Carla Sousa, ao emprego para depois regressar ao trabalho, numa empresa de comércio de carnes situada na rua da Cassil, em Gandra.

E era precisamente essa rua que Venâncio Coelho, de 71 anos, estava a descer quando perdeu o controlo do Mercedes e abalroou o Ford Focus que transportava Faustino e Carla. O carro do septuagenário ainda galgou a rotunda situada na Estrada Nacional 15, junto às bombas da Galp, antes de parar contra um muro colocado do outro lado da via.

Na sequência do choque, a viatura do casal começou a arder, mas as chamas foram rapidamente extintas por populares. “Havia algumas chamas na traseira do carro. Levei um extintor e rapidamente as apagámos”, conta Paulo Abreu, do Café Abreu, situado a poucos metros do local do acidente.

Choque entre vizinhos

Na sequência do embate, as três vítimas ficaram encarceradas, o que obrigou os bombeiros de Baltar e Rebordosa a avançar para uma operação complexa de retirada dos feridos e que se estendeu por mais de 15 minutos. As duas corporações mobilizaram 28 bombeiros, sete ambulâncias e dois carros de desencarceramento para o local.

Ao VERDADEIRO OLHAR, o adjunto do comando dos Bombeiros de Baltar, António Carlos, refere que as vítimas apresentavam vários traumatismos e algumas lesões internas. “São feridos de média gravidade. Estiveram sempre conscientes e foram transportados para o Hospital Padre Américo”, afirmou.

Venâncio Coelho, proprietário de uma fábrica de cadeiras, é vizinho de Faustino Pacheco e de Carla Soares. Quando teve o acidente ia a caminho do cemitério de Gandra para assistir ao funeral de um amigo. Tal como o casal ferido, não chegou a percorrer 500 metros até ter tido o acidente.

Fonte – “O verdadeiro olhar”




Sobre quem enviou a noticia

Ângelo Santos

Ângelo Santos

E natural do Porto e criado em Gondomar, assume-se como um “tripeiro de gema” pela forte influência e proximidade à cidade do Porto. Nasceu praticamente no seio dos bombeiros derivado à presença de familiares nas fileiras, onde de perto acompanhou a sua evolução e ganhou gosto pela causa. Integra na atualidade o corpo de bombeiros de Valbom no Concelho de Gondomar, onde exerce funções de bombeiro de 2º, com vínculo profissional de Operador de Comunicações. Fez ainda parte do projeto bombeirosdeportugal.com.