A legitimidade moral de me representarem terminou! *

0

Rafael Almeida

Na maior operação de charme de que há memória, em que um ministro da república Portuguesa personalizou missivas dirigidas aos Comandantes dos Corpos de Bombeiros porque, além de se ter sentido deselegante pelo discurso prepotente utilizado no primeiro dia de boicote à ANPC (quando apelidou centenas de milhares bombeiros de “irresponsáveis”), saneou-se mentalmente e entendeu-se para um problema de responsabilidade implicitamente imputada por gestão danosa ao nível do relacionamento interpessoal e institucional…

Nesse contexto, e percebendo uma abertura com “sincero veneno gestacional”, a LBP, representante das Associações e Corpos de Bombeiros e mandatada para gerir um “stress” de abandono tipicamente característico de filho adotivo mal comportado, cordialmente agita o lenço branco e atenta contra a maior manifestação alguma vez realizada pelos soldados da paz, onde é de referir e engrandecer uma união sem precedentes e sem registo, em prol de um próspero e definitivo alicerçamento da vida dos bombeiros.

Urge negociar, urge estabelecer um ambiente salutar, urge integrar institucionalmente os Bombeiros na linha supra ao nível dos filhos do MAI, mas com uma mão cheia de nada, com uma carta de três folhas vazias, com um olhar desconfiado, baixamos as armas e rendemo-nos no início da batalha. Não me venham com o blá, blá do costume, de que “somos soldados da paz”, de que “o nosso espírito é o de ajudar”, pois agora, que começaram a “passar a vaselina”, eu digo-vos: já tenho que chegue do verão passado, obrigado!

Exmo. Sr. Presidente da LBP, acólitos e demais devotos, a legitimidade moral de me representarem terminou no passado dia 18, quando soube primeiro pela comunicação social e depois por vocês que o circo acabou e os palhaços já podem voltar a ser bobos pois alguém nos recebeu com espumante francês…

Quanto à legitimidade legal para me representar, se tiverem tanta vergonha como a que eu tenho, não me peçam mais nada nem ao corpo de bombeiros que represento, pois não nos revemos em processos revolucionários bipolarmente vergonhosos…

Disponíveis 24/365 para missões consignadas em lei de acordo com os protocolos legalmente vigentes.

Um abraço!

 

Rafael Almeida

Comandante dos Bombeiros Voluntários de Foz Côa

(*Nota da Redacção – O título desta opinião é da responsabilidade da Redacção do Portal Bombeiros.pt)




Sobre quem enviou a noticia

Daniel Rocha

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda. Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).