A ‘heroína do ar’ que fez mais de 280 descargas no incêndio de Garafía

0

A ‘heroína do ar’ que fez mais de 280 descargas no incêndio de Garafía

Durante dias nós, palmeiras, vimos como helicópteros e hidroaviões sobrevoavam o céu da ilha, combatendo o fogo da Garafía desde o ar; embora não víssemos os rostos dos bravos que estavam aos comandos destes meios aéreos. Um desses bravos homens foi Marlene Nogueira, que já foi a primeira piloto de helicóptero militar em Portugal, e hoje é uma das poucas mulheres no mundo empenhada na árdua tarefa de apagar incêndios.

Em entrevista à Efe, Marlene contou sua experiência nas centenas de fogos que ‘carrega nas costas’. Há anos que lutam contra os incêndios em Portugal e Espanha, agora têm como base a Artenara, na Gran Canária, integrando a equipa florestal do Conselho da Ilha. Na última sexta-feira, com o início do incêndio em Garafía, recursos aéreos de outras ilhas foram ativados para colaborar no controle de um incêndio que ameaçava se prolongar por mais de uma semana e queimar cerca de 12 mil hectares. E foi assim que esta ‘heroína do ar’ chegou a Isla Bonita, com o Presa Hotel 1 (PH1) do Cabildo de Gran Canaria, para trabalhar por peça em conjunto com os restantes colegas. Foram dias intensos em que o helicóptero pilotado por Marlene fez mais de 280 descargas na área afetada pelo incêndio.

Em declarações à Efe , Nogueira destaca que “quando chegamos, o incêndio já era muito grande e temíamos o pior. Foi uma agradável surpresa que as condições nos deram a possibilidade de atacar o fogo e ser eficazes, conseguindo controlar as chamas em apenas três dias ”.

Algo que sempre agradeceremos a todos os aplausos e que ela, como o resto dos pilotos, puderam ler nos telhados de algumas casas de Garafía onde a palavra AGRADECIMENTOS ou mesmo corações brancos colocados pelos vizinhos os enviou de mande uma mensagem de encorajamento e gratidão.

No caso dela, Marlene Nogueira sempre soube que queria ser piloto, coisa que conseguiu realizar após um treinamento militar específico, além de ser socióloga e ter dois mestrados em um currículo amplo. Embora ele não se imagine então ‘apagando incêndios’, mas pilotando caças. “A primeira vez que pilotei um helicóptero soube que queria me dedicar a isso.” Foi há cerca de 15 anos e desde então ele não parou.
Ele não tinha um trabalho fácil pela frente, como diz que foi dito “era trabalho de homem e ela era a única mulher. “” Mas consegui a melhor classificação e pude escolher “, diz ela com orgulho. Como ela mesma garante,” no terreno ela ainda vê alguma distinção entre homens e mulheres, enquanto no ar somos todos iguais e isso só importa. como você faz seu trabalho. “

Essa constância é o que a levou a ter uma destreza que deixou sem palavras quem a viu trabalhar nestes dias em Garafía, com cargas em espaços que exigem uma precisão milimétrica. “Fui treinada para trabalhar em condições difíceis”, explica, “a missão é sempre arriscada e a educação e a formação são fundamentais, também para gerir o perigo”.

Embora trabalhe concentrada no ar para cumprir sua tarefa, ela não consegue afastar os sentimentos por ter, do ar, uma perspectiva que os que permanecem no solo deixam de apreciar. “Não é só a floresta e a natureza, são as pessoas, os animais, as fazendas e os negócios que estão em perigo, muitas vezes por imprudência”, ressalta, destacando que “as pessoas devem ter em mente que incêndio é algo muito perigoso e todos devemos ter cuidado para evitar qualquer circunstância que possa acender uma faísca. É preciso pensar mais e estar atento ao risco, que está mesmo nos pequenos detalhes que têm consequências muito graves. ”

Fonte: https://eltime.es/

About author

Pedro Fonseca

Pedro Fonseca

É natural e residente em Gouveia, a sua vida profissional está ligada nestes últimos 19 anos à área de consultadoria em seguros. Em 2013 foi fundador da empresa LICATEL - Soluções em Telecomunicações onde é sócio/gerente. Desde tenra idade ingressou nas camadas jovens dos Bombeiros de Gouveia tendo permanecido alguns anos nos quadros, ultimamente passou pela Direcção da referida Instituição dinamizando a área de comunicação e imagem. Frequentou a licenciatura em Gestão de Marketing no IPAM de Aveiro. Passou por diversas Associações de Gouveia dando o seu contributo.