Sub-chefe e bombeiro da corporação caminhense condenados em tribunal

0

FB_IMG_1454535641286Um sub-chefe e o filho, também bombeiro, foram condenados pelo Tribunal de Caminha em penas de multa e indemnização ao ofendido, devido aos acontecimentos ocorridos no Festival de Vilar de Mouros de 2014, quando aí prestavam serviço.

O Tribunal considerou provados os crimes de que vinham acusados, de ofensa à integridade física e de ameaça agravada, no caso do sub-chefe, e de ameaça agravada e injúrias, pela parte do filho bombeiro, na pessoa do presidente da Casa de Repouso do Bom Jesus dos Mareantes, o qual apresentou uma queixa-crime, após o sucedido na altura em que actuavam os “Deolinda”.

Terão de pagar uma indemnização de 800€ e 700€, respectivamente, ao ofendido, e ainda cerca de 1.000€ ao Estado, de multas e custas de justiça.

Ambos poderão recorrer de sentença, se não aceitarem esta decisão da primeira instância.

Contactamos Luís Pedro Saraiva, comandante do Corpo Activo da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Caminha, sobre se iria tomar alguma medida face à decisão do Tribunal, respondendo-nos que não tinha qualquer conhecimento “formal” do veredicto.

Quando isso suceder, “depois se verá”, concluiu.

FONTE: caminha2000.com  /  foto: facebook Bvcaminha

Sobre o autor

Pedro Fonseca

Pedro Fonseca

É natural e residente em Gouveia, a sua vida profissional está ligada nestes últimos 17 anos à área de consultadoria em seguros. Em 2013 foi fundador da empresa LICATEL - Soluções em Telecomunicações onde é sócio/gerente. Desde tenra idade ingressou nas camadas jovens dos Bombeiros de Gouveia tendo permanecido alguns anos nos quadros, ultimamente passou pela Direcção da referida Instituição dinamizando a área de comunicação e imagem. Frequentou a licenciatura em Gestão de Marketing no IPAM de Aveiro. Passou por diversas Associações de Gouveia dando o seu contributo.