Oito mortos e 108 desaparecidos em deslizamento de terras nos EUA

0

deslizamento Handout of officials surveying a large mudslide near Oso, WashingtonUm bebé de seis meses foi salvo, mas está internado em estado crítico. Instabilidade do terreno atrasou operações de resgate.

Um gigantesco deslizamento de terras no Estado de Washington fez pelo menos oito mortos. Há ainda até 108 pessoas desaparecidas e as equipas de socorro aumentam os esforços para tentar encontrar sobreviventes.

O deslizamento, que as autoridades locais suspeitam ter resultado da chuva que tem caído na região, aconteceu na manhã de sábado na localidade de Oso, nas imediações de uma auto-estrada que liga Arlington e Darrington, a cerca de 80 quilómetros de Seattle.

Parte de uma colina abateu-se sobre uma ribeira e formou uma enxurrada de lodo que engoliu 35 casas — o deslizamento atingiu uma extensão de cerca de 1,5 quilómetros. Esta torrente de lama desceu sobre Oso à velocidade de “um comboio de mercadorias”, disse numa conferência de imprensa John Pennington, chefe dos serviços de emergência do condado de Snohomish, de apenas 9000 habitantes.

Destas 35 casas, 25 são habitadas todo o ano e dez são casas secundárias, descreveu Pennington. Há mais alojamentos afectados, entre pré-fabricados e caravanas.

Os fins-de-semana são a altura em que mais pessoas se encontram na zona, mas não há certezas sobre o número de desaparecidos: 108 é o número de pessoas que podiam estar presentes na zona do deslizamento, mas a presença de todas ainda não está confirmada.

“Era sábado de manhã, as pessoas estavam em casa. Temos também a confirmação de que havia vários trabalhadores da construção presentes” em Oso, disse Pennington.

Devido à instabilidade do terreno, as equipas só conseguiram iniciar as operações de resgate no domingo. Foram salvas oito pessoas, incluindo um bebé de seis meses e um idoso de 81 anos, ambos internados em estado grave no Harborview Medical Center, na capital do estado, Seattle.

A chuva, que era intensa há duas semanas, abrandou um pouco, mas o terreno continua instável e há receios de novos deslizamentos. Houve membros das equipas de resgate “literalmente engolidos pela lama”, disse o governador, Jay Isnlee, explicando que estas pessoas tiveram de ser retiradas de helicóptero.

Um dos resgatados, Robin Youngblood, contou ao jornal Seattle Timescomo viu chegar de repente o que descreve como “uma parede de lama de cerca de oito metros” de altura: “A onda rebentou em cima de nós e arrastou-nos, a casa já não era mais do que um monte de madeira. Estávamos enterrados e tivemos de escavar para sair.”

Fonte: Publico.pt




Sobre quem enviou a noticia

Mónica Costa

Mónica Costa

É natural de Tabuaço, licenciada em Comunicação e Relações Económicas e Mestre em Marketing e Comunicação. Foi jornalista na Rádio F até 2013 e apesar de nunca ter estado diretamente ligada ao mundo dos bombeiros, acompanhou sempre com um enorme respeito e admiração o seu trabalho. Na atualidade integra a equipa da Direção informativa do portal bombeiros.pt.