Moçambique: Sobe para 105 número de mortes causadas pelas cheias

0

AP+cheias+MoçambiqueO número de pessoas mortas pelas cheias que  assolam Moçambique, desde outubro, ascende a 105, segundo o último balanço  divulgado, na sexta-feira, pelo Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC). 

A maioria das vítimas, 41, residia na província de Gaza, sul de Moçambique,  bastante afetada pelo transbordo dos seus principais rios, como o Limpopo  e o Incomáti, que inundaram povoações e, mesmo, cidades, destruindo milhares  de casas de construção precária. 

Na Zambézia, província do centro do país, foram registadas 19 mortes,  e, na província de Nampula, norte, 17 pessoas perderam a vida em consequência  das chuvas. 

As mais recentes mortes ocorreram, esta semana, na província de Sofala,  no centro, bastante fustigada por tempestades. 

De acordo com dados do INGC, 243,514 pessoas foram afetadas directamente  pelas tempestades, das quais 186.784 estão abrigadas em centros temporários  de acomodação. 

Na sexta-feira, em Chihaquelane, o maior desses centros, a 30 quilómetros  da cidade de Chókw, que ficou inundada pelo Limpopo, encontravam-se mais  de 100 mil pessoas, a necessitarem com urgência de tendas, comida e água.

Apesar das precárias condições, e da ameaça de epidemias, como malária  e cólera, naquele centro já nasceram 34 bebés, desde que começou a atual  crise provocada pelas fortes chuvadas. 

 

Fonte: SIC Noticias

 

 




Sobre quem enviou a noticia