Japão ordena inspeções a túneis depois do colapso

0

Yoshikazu Tsuno/AFP

Depois do desastre no túnel de Sasago, numa autoestrada japonesa a oeste de Tóquio, que vitimou nove pessoas, o governo japonês decretou inspeções de emergência a túneis rodoviários por todo o país.

Nove pessoas morreram ontem no desmoronamento do túnel de Sasago, numa autoestrada japonesa. Está agora a ser lançado um inquérito para apurar as causas do incidente, notícia o site da BBC.

De acordo com os meios de comunicação locais, citados pela BBC, o ministro da Terra, Infraestrutura, Transportes e do Turismo, do Japão, ordenou que os operadores rodoviários fiscalizem túneis semelhantes ao de Sasago e efetuem inspeções de emergência.

Segundo o ministro, estão a ser inspecionados cerca de 49 túneis rodoviários. Este número é pequeno tendo em conta que o Japão tem cerca de 1,500 túneis, a maioria deles com mais de 30 anos.

Só hoje de manhã (3 de Dezembro) é que as equipas de salvamento começaram a trazer os corpos das nove vítimas para fora do túnel. Alguns sofreram queimaduras tão graves que demorarão dias para serem identificados, informou um correspondente da BBC no local.

Entre os que já foram identificados encontra-se um camionista, que terá ligado para a sua empresa pouco antes de morrer a avisar que estava preso no túnel,  e cinco pessoas que viajam numa carrinha, tendo sido identificados os corpos de três homens e uma mulher, todos na casa dos 20 anos. Uma mulher, de 28 anos, que viajava também com o grupo, sobreviveu ao acidente, diz a BBC.

Em declarações à agência noticiosa Associated Press, um porta-voz da polícia afirmou que ainda não está descartada a hipótese de virem a encontrar mais vítimas mortais ou até sobreviventes, cita a BBC.

Fonte: Diário de Notícias

 




Sobre quem enviou a noticia

luis.andrade

luis.andrade

É natural da Guarda e Licenciado em enfermagem, tendo obtido também uma pós-graduação em Urgência e Emergência Hospitalar e uma pós-licenciatura de Especialização em Enfermagem em Saúde Mental e Psiquiatria. Durante a frequência do curso de licenciatura em enfermagem, colaborou, como voluntário, na delegação da Guarda da Cruz Vermelha Portuguesa. Na atualidade exerce a profissão de enfermeiro no Funchal e integra a corporação dos Bombeiros Madeirenses, onde ocupa o posto de subchefe equiparado.