Incêndio florestal nos EUA destrói casas e deixa 1,2 mil desalojados

0
(Foto: Max Whittaker-Reuters)

(Foto: Max Whittaker-Reuters)

As chamas afectam a área rural do leste da Califórnia desde sexta-feira. Já existem mais de 50 veículos de bombeiros a trabalhar no combate ao incêndio.

Um incêndio florestal destruiu imóveis e forçou o abandono de mais de 500 casas, afectando cerca de 1.200 moradores numa área rural no leste da Califórnia, nos Estados Unidos. Segundo a agência Reuters, os bombeiros informaram que as chamas tiveram início na sexta-feira (25) e que as causas ainda estão a ser investigadas.

Uma área de aproximadamente 1.200 hectares foi consumida pelas chamas, que avançaram rapidamente devido aos ventos na região e destruíram cinco casas e dois prédios, de acordo com a porta-voz do Departamento de Engenharia Florestal e Protecção contra Incêndios da Califónia, Lynne Tolmachoff.

Mais de 50 veículos de bombeiros estão a trabalhar no combate ao fogo, que, segundo Tolmachoff, está 20% controlado. A menor incidência de ventos nas últimas horas e as temperaturas mais baixas durante a noite ajudaram os bombeiros na contenção do fogo.

Cerca de 250 casas foram abandonadas, elevando o número total para 515 desde o início do incêndio. Um abrigo para as pessoas que precisaram deixar as suas casas foi. entretanto, montado numa escola da região. Não há registos de vítimas graves até ao momento.

(Fonte: Globo)

 




Sobre quem enviou a noticia

Daniel Rocha

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda, mas foi em Famalicão da Serra que cresceu e conheceu o mundo dos bombeiros integrando o corpo activo. É Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, e possui um Curso de Especialização em Ensino de Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS), ambos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades, entre as quais o teatro e a escrita, tendo publicado com alguma regularidade desde 2011. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).