Impressionante: um café, dois bombeiros e uma empregada de café

0

empregada e bombeiros usaUma empregada de café, comovida com o esforço quase desumano de dois bombeiros, pagou-lhes o pequeno-almoço. Mal ela sabia que o gesto iria recompensar também o próprio pai, tetraplégico. Uma história emocionante que mostra como vale a pena ser solidário.

Tudo começou quando a jovem viu dois bombeiros, esgotados, a entrarem no estabelecimento, pelas 6h00, e a pedirem “a maior chávena de café que houver”, logo após um longo turno de 12 horas a combater um incêndio.

Ao aperceber-se do que ambos tinham acabado de fazer, Liz Woodward esperou que pedissem a conta para lhes escrever um recado.

“Hoje o pequeno-almoço fica por minha conta – obrigado por tudo que vocês fazem; por servir os outros e por correrem para lugares de onde todos fogem. Não importa o vosso trabalho, vocês são corajosos, destemidos e fortes… Obrigado por serem tão ousados e fantásticos todos os dias! Alimentados pelo fogo e guiados pela coragem – que exemplo vocês são. Descansem! =) Liz”, escreveu a jovem, desenhando ainda um capacete no canto da folha.

Comovidos, Tim Young e Paul Hulling agradeceram a oferta e o primeiro foi ao Facebook recomendar uma ida àquele café e “uma gorjeta bem gorda” para Liz: “Foi um gesto muito bonito e altruísta. Todos os meus amigos devem frequentar este café e, quando forem servidos pela Liz, dêem-lhe uma gorjeta bem gorda”.

Neste entretanto, os dois bombeiros tinham ficado a saber que o pai da jovem, Steve, estava tetraplégico há cinco anos e que, através de um site de doações, Liz tentava juntar o dinheiro suficiente para lhe oferecer uma cadeira de rodas elétrica.

“Parece que a jovem que nos deu de comer também precisa de ajuda…”, comentou Tim Young, partilhando a campanha junto dos colegas. Em apenas poucos dias, mais de 70 mil dólares foram depositados na conta de Liz Woodward, que ‘só’ pedia 53 mil para a cadeira elétrica.

“Tudo que eu fiz foi pagar um pequeno-almoço a dois bombeiros, nunca esperei nada para além de um sorriso. Isto prova que as pessoas devem simplesmente ser boas umas para as outras, pois até mesmo um pequeno gesto pode mudar uma vida”, comentou a empregada de mesa que quis ser simpática com os bombeiros.

Ver vídeo:

(Fonte: PT Jornal)

 




Sobre quem enviou a noticia

Daniel Rocha

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda, mas foi em Famalicão da Serra que cresceu e conheceu o mundo dos bombeiros integrando o corpo activo. É Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, e possui um Curso de Especialização em Ensino de Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS), ambos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades, entre as quais o teatro e a escrita, tendo publicado com alguma regularidade desde 2011. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).