Uma nova dinâmica

0

daniel_rocha1. Os tempos que se apresentam não prometem facilidades! Não sendo esta uma frase feita ou uma qualquer intenção de propósitos, convém relembrar que acima de tudo são pessoas de carne e osso que não vão ter uma vida fácil. Se pensarmos que, enquanto bombeiros e agentes da protecção civil, somos os primeiros a contactar com a desgraça alheia ou com uma qualquer situação de dificuldade que se apresente a toda a comunidade, não será difícil de perceber que temos de estar preparados para o pior cenário possível.

2. Os passos dados pelas ruas são, em regra, rápidos e inseguros. A imensa treva que se apresenta no presente e vislumbramos no futuro é só um pouco daquilo que a realidade nos trará. Agora, mais do que nunca, é importante percebermos o nosso papel de zeladores da segurança da comunidade e de “psicólogos” da amargura diária. Mais do que nunca deveremos colocar todo o nosso conhecimento e toda a nossa solidariedade ao serviço daqueles que, cada vez em maior número, irão optar por nos convocar sempre que se sentirem sós. Mais do que nunca deveremos ser capazes de mostrar a nossa humanidade e a nossa humildade. Temos, portanto, de nos lembrar que o nosso lema “Vida por Vida” não significa só “dar a vida para salvar a dos outros” mas que significa também “estar disponível para ajudar os outros”. E esta leitura só é possível se todos nós optarmos por ser pessoas que se preocupam. Sabemos todos que tantos de nós estão também em condições difíceis e a precisar de ajuda, mas sabemos que só com a entreajuda é que tudo pode melhorar. O espírito de dádiva e de entrega, que é a nossa marca principal, é também o centro de uma postura honesta que se impõe a um país. Todos sabemos que os nossos representantes políticos não gostam desta postura de honestidade (sendo promíscuos e extremamente hábeis a perpetuar a corrupção e a ganância), mas nós sabemos o que as comunidades sofrem, pois não conseguimos ser cegos quando sabemos que de nós pode depender uma vida. Por tudo isto, temos todos a responsabilidade de compreender as pessoas e de lhes mostrar que nos preocupamos com elas. Só mostrando que nos preocupamos com a comunidade é que a comunidade poderá um dia perceber que nós somos mais importantes do que qualquer bem que possua e que nós somos de carne e osso.

3. E é nesta óptica da melhoria diária e do contacto cada vez mais clarificador com todos aqueles que seguem o Portal Bombeiros.pt que nós temos vindo a trabalhar. A partir de hoje a rubrica de crónicas que se chamava ”A visão do bombeiro” passará a chamar-se “Uma visão sobre os bombeiros”. Esta mudança deve-se a uma maior abertura deste espaço de opinião à visão que “outros” têm de “nós”. Será, portanto, um espaço em que coexistirão bombeiros e cidadãos, de muitas e variadas procedências, com um único propósito: falar sobre o papel dos bombeiros e a forma como a sociedade os vai compreendendo. Assim, ao painel que será fixo e rotativo, poderá acrescentar-se a opinião de outras vozes. Sempre numa visão de construção colectiva e de melhoria social. No lote de cronistas para esta nova temporada participarão bombeiros, antigos elementos de quadros de comando, dirigentes de associações humanitárias, jornalistas, professores, formadores e (seria impossível deixar de parte!) desempregados. A partir de hoje e até ao final do ano serão aqui apresentadas muitas visões e serão feitas muitas avaliações àquilo que é a nossa maior preocupação hoje e sempre: o nosso papel no serviço às populações!

Moimenta da Serra, 10 de Fevereiro de 2013

Daniel António Neto Rocha

daniel rocha

About author

Sérgio Cipriano

Sérgio Cipriano

Natural de Gouveia e licenciado em Comunicação Multimédia pelo Instituto Politécnico da Guarda. Ingressou nos bombeiros com apenas 13 anos de idade e hoje ocupa o cargo de sub-chefe. É um dos fundadores da Associação Amigos BombeirosDistritoGuarda.com e diretor de informação do portal www.bombeiros.pt, orgão reconhecido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social.