Só pode ter sido lapso

11

Lamentando o sucedido, muitos bombeiros do concelho de Cascais admitem que apenas se tratou de um lapso. Outros, de forma mais incisiva, defendem que só pode ter sido um deslize e um erro lamentável. E nem acreditam que sobre tempo de outras tarefas aos agentes da autoridade para andarem preocupados com esta, pelos vistos, de subida importância.

Um agente da PSP entendeu mandar parar uma ambulância de transporte múltiplo (ABTM) de uma das associações de bombeiros voluntários do concelho. No final entendeu aplicar uma multa de 997,80 euros.
Segundo o auto, os bombeiros estariam a transportar indevidamente uma cidadã ambliope (invisual progressiva) para uma instituição de solidariedade local onde exerce actividade, enquadrada como inserção socioprofissional.

O agente, por outro lado, deixa até expresso no auto que a referida senhora “nem é nem se encontra doente”, desconhecendo-se o suporte técnico e legal que o leva a afirmar e suportar tal afirmação. E diz também que, por isso, a missão em causa não cabe aos bombeiros desempenhar naquele tipo de viatura. Sublinhe-se que se trata de uma viatura precisamente adaptada ao transporte múltiplo de doentes, ou seja, de cidadãos com dificuldades de mobilidade, seja motoras, seja de outra ordem.

No caso concreto, ainda por cima, o transporte efectuado pelos bombeiros insere-se num protocolo estabelecido com a Câmara Municipal de Cascais, em vigor há oito anos, através do qual as cinco associações colaboram com a Autarquia, precisamente, no transporte de munícipes com diferentes tipos e graus de deficiência, para tratamentos, meio escolar ou inserção socioprofissional.

Este transporte é rastreado previamente pelos serviços de acção social municipais, que recebem e avalizam os pedidos, e só então os reencaminham para os bombeiros.
Algumas dezenas de munícipes usufruem diariamente deste serviço dos bombeiros, perfeitamente integrado nas missões previstas para eles. A par desses munícipes, nas mesmas circunstâncias e condições, transportam outros munícipes, também para tratamentos, recuperação e reabilitação, inclusive profissional, e exames médicos mas neste caso a pedido do Ministério da Saúde.

Os bombeiros questionam se a diferença está na origem do pedido de transporte? Questionam também sobre o âmbito da doença que o dito agente considera, ou não, elegível para a legitimidade e legalidade do transporte.
Como lhe compete, a Associação em causa já recorreu para a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) e admite vir a recorrer aos tribunais na defesa do bom nome da própria instituição, dos seus colaboradores e dos doentes que transporta.

E os bombeiros, que, fora da sua missão, tanto ajudam os agentes da autoridade na regulação do trânsito em casos de sinistros rodoviários, admitem agora deixar de o fazer por temerem vir a ser também multados por isso.

Rui Rama da Silva

 

 

About author

Sérgio Cipriano

Sérgio Cipriano

Natural de Gouveia e licenciado em Comunicação Multimédia pelo Instituto Politécnico da Guarda. Ingressou nos bombeiros com apenas 13 anos de idade e hoje ocupa o cargo de sub-chefe. É um dos fundadores da Associação Amigos BombeirosDistritoGuarda.com e diretor de informação do portal www.bombeiros.pt, orgão reconhecido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social.

  • Carlos Santos

    O Sr. Agente em causa deveria ganhar uma medalha e ser promovido…

    O Sr. Agente tem toda a razão, inclusive a pessoa transportada também deveria ser multada por ter uma deficiência visual.

    Mas para existir coerência o Sr. Agente deveria multar todas a entidades públicas e privadas existentes na sua área de intervenção que não possuam instalações adaptadas a portadores de deficiência motora ou invisuais.

    Em ultima instância o Município e a Administração Central.

    E continuaria ciclicamente a multar enquanto não fossem corrigidas, ou seja iria ser o Agente do século…

    Feitas as contas no fim dessa missão humanitária iríamos ficar sem défice…

    E o Sr. Agente entraria para o Guinness World Records como o agente que mais multas passou.

  • Rodrigues

    Discordo deste tipo de autuações às associações de bombeiros. Mais cedo ou mais tarde precisamos todos uns dos outros.
    Não deixem de ajudar os agentes nos casos de sinistros rodoviários. Somos uma equipa. O nosso principal objetivo é o mesmo – ajudar a população.

    Grande abraço a todos.

  • Gomes

    Os camaradas que transportavam a cidadã invisual deveriam ter aproveitado a abtm para transportar esse dito agente da autoridade para a psiquiatria.
    Espero bem que esse animal seja corrido da policia para servir de exemplo aos outros dementes que em vez de combaterem o crime andam á caça de multas ás associações de bombeiros VOLUNTÁRIOS

  • Sérgio Azevedo

    Aposto que o Agente tem Sociedade numa empresa de TÁXIS! LOL

  • Joaquim Pereira

    já sei porque o agente em causa multou a ambulância e seu condutor, ainda não viram que a agente e medico, só que devido a crise foi para a P S P, só por si, no auto, ele refere que a senhora não é doente, é porque sabe disso não ? uma sugestão ! quando for altura de pagar a multa os responsáveis da P S P deviam descontar a referida multa do ordenado dessa besta

    Joaquim Pereira

  • bombeiro sam

    Não é caso inédito. Seja PSP, seja GNR há várias Associações de Bombeiros com multas e carros apreendidos por motivos idênticos. Pena que nos bombeiros não haja só uma voz e tanto nos acidentes, na regulação do trãnsito, como nas aberturas de porta (que os agentes não entram em casa excepto quando o bombeiro abre a dita porta), deveriam começar a ser mais meticulosos e exigir aos agentes o cabal cumprimento da sua missão…E já agora serem céleres na chegada aos acidentes!

  • PJSV

    Só quem não circula na zona de cascais é que fica espantado com a actuação dos agentes de Cascais. pois no caso do transporte de crianças tem sido uma autentica perseguição .

    Em fim €€€€€€€€€€€€€€

    • RMC

      RMC
      Uma coisa que os agentes da PSP não fazem com a frequência que a Lei exige. A fiscalização do estacionamento destinado a deficientes motores.Muitas vezes estão ocupados por viaturas sem distico. Outras vezes exibem distico inválido, ou seja não passado pela entidade competente. Ainda outras vezes param em lugares matriculados no sinal (exemplificando um lugar na esquina da Alexandre Herculano com a R.Nova da Alfarrobeira). Enfim, dedicam-se mais a aborreçer quem anda a fazer bem e a minorar o sofrimento humano.

  • Joao Sequeira

    Os agentes da PSP de Cascais . já fazem de tudo até aberturas de porta só para os bombeiros não receberem esses serviços.caso verídico dia 27 as 23:00.quem ficou a arder com o pagamento. Ahbvc.

  • Pcruz

    Primeiro que tudo, eu teria solicitado ao Sr. Agente o cartão do seu curso de TAT, TAS, ou diploma de enfermagem ou até medicina, se ele não conseguisse apresentar isso, então eu questionava qual a sua capacidade de avaliar se alguem se encontra doente ou não. Se quisesse que me levasse detido que as coisas se resolviam depois. Cada macaco no seu galho, nós a avaliar doentes e eles a resolverem crimes. Mas desde que neste pais outras autoridades já apagam incêndios em vez dos bombeiros… E não está em questão serem bombeiros voluntarios ou profissionais, são BOMBEIROS, e fazem mais que muita autoridade junta

  • Teste

    Mas para estacionarem o carro em cima do passeio em frente ao antigo Estoril sol para a caça a multa e os pedestres terem de passar pela movimentada marginal já não há multa…