Sapadores Florestais de Portugal, Dignificar e Valorizar!

0

Alexandre Carvalho

Tenho consciência de que sou um elemento novo no seio dos Sapadores Florestais de Portugal, mas com tempo suficiente para entender que muita coisa vai mal e que é preciso, é urgente, é fundamental corrigir 

Estava consciente do trabalho árduo que me esperava, dos riscos associados a esta atividade, mas nada disso me acobardou nem desanimou. No início foi duro viver a realidade de perto com os meus colegas que já estavam habituados às lides do campo, ao contrário de mim, que embora soubesse o que eram essas lides nunca tinha executado nenhum tipo de trabalho com os equipamentos moto manuais, entre outros.  

Um início duro que me despertou para as necessidades de procurar soluções que pudessem melhorar as condições de trabalho de todos os Sapadores Florestais e, nesse sentido, comecei a procurar apoio sindical que levasse a nossa voz até aos decisores políticos.  

Descobri esse apoio como mera coincidência, numa das inúmeras pesquisas que realizava sempre em torno das questões dos Sapadores Florestais. Encontrei o Sindicato Nacional da Proteção Civil – SNPC qubem depressa contactei e ao qual expus a minha situação e a realidade do meu setor, o abandono a que este estava sujeito  tanto tempo sem ter um sindicato que se focasse nas preocupações de homens e mulheres que todos os dias colocavam a vida em risco para zelar pela floresta que é de todos nós 

A preocupação com o meu setor levou-me a receber o convite para ingressar nos corpos sociais do sindicato. Após eleições passei a ter a coordenação do setor da Conservação da Natureza e Florestas dentro do Sindicato Nacional da Proteção Civil. Para além dos Sapadores Florestais, acompanho ainda os Vigilantes da Natureza e o Corpo Nacional de Agentes Florestais.  

Os Sapadores Florestais, tantas vezes vistos e tantas outras esquecidos. É triste quando se assiste a um desconhecimento total por parte dos nossos decisores políticos sobre quem somos, o que fazemos e o que exigimos. Triste realidade! Como já foi escrito aqui no Portal Bombeiros.pt, esquecem-se logo que passa a fase dos incêndios e não nos valorizam pelo trabalho que executamos na nossa Floresta e em todas as outras missões que nos estão destinadas, quando nos toca a exigência de sermos agentes de proteção civil.  

Queremos transformar esta realidade! Alertando todos os trabalhadores da floresta para as reivindicações de todo um setor que anseia por dias melhores e onde a valorização do seu trabalho e do seu esforço seja finalmente reconhecida através de um aumento salarial, devidamente ajustado às nossas funções, e da obtenção da nossa carreira e estatuto profissionais 

Iniciámos de norte a sul do país um longo caminho com os trabalhadores. Já identificámos situações que nos envergonham e refletem o abandono sistemático de um setor que ao longo dos anos tem sido alvo de sucessivos abandonos e retrocessos laborais, mesmo quando existem grandes investimentos feitos pelo atual governo e também do governo anterior, em aquisição de carrinhas, ferramentas manuais e de EPI’s.  

É um setor pouco apoiado pelos decisores políticos e, nesse sentido, encontramos situações onde os trabalhadores são privados do seu direito básico de receber um salário mensal pelo trabalho que executam 

A falta de fiscalização da ACT permite que algumas entidades patronais usem e abusem dos seus trabalhadores como se ainda praticássemos a escravatura em Portugal. Estas situações deviam envergonhar qualquer governante do nosso país. 

Triste realidade! Nós não nos resignamos, não nos escondemos atrás de ninguém e por isso confrontamos Grupos Parlamentares, Partidos Políticos e a própria ACT, denunciando estas e outras situações para que os Direitos, Liberdades e Garantias sejam uma realidade para estes trabalhadores e não meramente uma linha escrita na Constituição da República Portuguesa.  

Dignificar e Valorizar o Trabalho e os Trabalhadores!  Sobre este lema começámos uma jornada de luta nacional, que principiou com a criação da Petição para a Integração da Carreira Profissional de Sapador Bombeiro Florestal para todos os Sapadores Florestais de Portugal, na qual necessitamos de 5 mil assinaturas para que possamos levar esta discussão à Assembleia da República. Vamos conseguir!

No passado dia 11 de Dezembro realizámos junto à Assembleia da República uma ação simbólica de recolha de assinaturas, que cumpriu com o seu objetivo e na qual manifestamos ao PS, PSD e PCP que os Sapadores Florestais de Portugal estão na rua e cá iremos continuar até que comecem a valorizar a nossa profissão, colocando-nos em patamares iguais às restantes forças.  

A nossa luta ainda vai “no adro”, temos um caminho longo a fazer, mas não baixamos os braços perante nenhuma adversidade, estamos aqui a lutar por todos e é com todos que vamos à luta. O tempo da solidão e do abandono constante do setor ficou lá atrás, hoje lutamos por todos e é com todos que alcançaremos as nossas justas reivindicações, afinal somos todos filhos do mesmo programa.

Deixo um apelo para que todos possam assinar a nossa petição em: 

https://peticaopublica.com/mobile/pview.aspx?pi=pt103982 

Para uma floresta valorizada, uma carreira reconhecida! 

 

Alexandre Carvalho

(Novo cronista no Portal Bombeiros.pt é natural da Guarda e mora em Viseu, onde trabalha como Sapador Florestal na CIMVDL. Para além disso, é Dirigente Nacional do SNPC e Coordenador do Setor da Conservação da Natureza e Florestas, estando neste momento a frequentar o curso Técnico Superior Profissional de Proteção Civil da Escola Superior Agrária de Viseu)

About author

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda. Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).