QUE VOLTEM SÃOS E SALVOS!

1
Gisela Oliveira

Gisela Oliveira

Ao terceiro toque todos se moveram em passo de corrida. «Saem os VFCI 1, 2 e 3! As outras equipas para os VFCI 5 e 8! Saem as VTT 1, 2, 3 e 4!» A voz de comando ecoava pelo quartel. Chegavam homens e mulheres, voluntários, que mal receberam o alerta pelo telemóvel deixaram os seus trabalhos para se juntarem às equipas.

Em poucos minutos as sirenes ouviam-se em direção ao incêndio. Lá fora os termómetros marcavam 42º e o vento soprava atiçando as chamas. O sol estava coberto pelo fumo e o céu ia perdendo a cor. «Deus queira que voltem todos, sãos e salvos», murmuravam as vozes dos que ficaram, ao vê-los partirem.

Começaram por ser 150, pouco depois já eram 300, mais tarde 500… 600! E as chamas não cediam. Quase 200 viaturas, sete meios aéreos. Hectares e hectares sem vida em Tomar, Constância, Barquinha, Abrantes. Ao fim do dia ainda o incêndio dava luta. A luta mais desigual que pode haver: o Homem contra o Fogo!

Completamente derreados, desgastados, mas não vencidos. Combateram as chamas com toda a garra e bravura até debelarem o inimigo. E venceram!

Mais de 48 horas depois ainda lá permaneciam centenas de homens e mulheres garantindo a força da vitória. A terra cheira agora a queimado e a paisagem é cinzenta e triste.

São estes os dias de milhares bombeiros e bombeiras, de norte a sul do país, nesta altura do ano. É esta a luta desigual que enfrentam.

Que voltem sempre sãos e salvos!

 

 




Sobre quem enviou a noticia

Sérgio Cipriano

Sérgio Cipriano

Natural de Gouveia e licenciado em Comunicação Multimédia pelo Instituto Politécnico da Guarda. Ingressou nos bombeiros com apenas 13 anos de idade e hoje ocupa o cargo de sub-chefe. É um dos fundadores da Associação Amigos BombeirosDistritoGuarda.com e diretor de informação do portal www.bombeiros.pt, orgão reconhecido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social.