Para ser nobre, não é preciso ser famoso!

0

IMG_40031O tema que vos trago aqui esta semana tem a ver com os equipamentos de proteção individual para o combate a incêndios urbanos e industriais.

É do senso comum que a escassez de equipamentos de proteção individual não afeta só os EPIs de combate a incêndios florestais, o problema é mais grave que isso e transversal a todo o país.

Como sabem, EPI significa Equipamento de Proteção Individual, porem, muitos tendem em não perceber a palavra “individual”, desta forma, propunha que o mesmo passasse a ter a designação de EPII, Equipamento de Proteção Individual Intransmissível, isto para acabar com a partilha de equipamentos que serve para o Manel e para o João.

Está bem, estão vocês a pensar… e dinheiro para isso? Pois bem, era aí que eu queria chegar… Conheço, felizmente, a realidade de muitos corpos de bombeiros espalhados por este país, conheço igualmente a sua frota automóvel, em alguns casos, desvirtuada da sua realidade, ou seja, têm veículos em excesso.

Porém, quando questionamos qual é o equipamento de proteção individual que possuem para o combate a incêndios urbanos, dizem que são aqueles 5 casacos e os 5 capacetes (do tempo do arco e da flecha) que possuem para proteger o seu bem mais precioso, os seus homens e as suas mulheres. É lamentável o pensamento arcaico de quem comanda e dirige uma instituição como a dos bombeiros, que valoriza mais o seu parque automóvel em detrimento da segurança dos seus homens e mulheres.

Estamos perdidos com estes pensamentos…

Mas, nem tudo está perdido, o equipamento com o qual me encontro fardado, é o mais recente equipamento de proteção individual topo de gama da rosenbauer, que, recentemente recebeu o corpo de bombeiros de Melo, no concelho de Gouveia. Honra seja feita a Figueiredo Rolli produções, pela forma desinteressada na ajuda aos bombeiros portugueses.

Esta empresa lusa radicada na Suíça tem-se voluntariado para ajudar diversos corpos de bombeiros em Portugal, nomeadamente: Vila Nova Tázem, Soito, Folgosinho, Melo, Celorico da Beira, Peniche, Famalicão da Serra, entre outros. Fá-lo com todo o gosto, sem reivindicar medalhas e publicações em jornais, fá-lo porque tem sentido de responsabilidade e acima de tudo quer o bem daqueles que tem ajudado.

Para ser nobre, não é preciso ser famoso!

 




Sobre quem enviou a noticia

Sérgio Cipriano

Sérgio Cipriano

Natural de Gouveia e licenciado em Comunicação Multimédia pelo Instituto Politécnico da Guarda. Ingressou nos bombeiros com apenas 13 anos de idade e hoje ocupa o cargo de sub-chefe. É um dos fundadores da Associação Amigos BombeirosDistritoGuarda.com e diretor de informação do portal www.bombeiros.pt, orgão reconhecido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social.