O calor aperta e os incêndios estão aí…

0

No passado sábado tive oportunidade de estar na VI Jornada de Analise ao Incêndio de Famalicão da Serra, onde de ano para ano, a organização tem por rigor apresentar painéis diversificados terminando as jornadas com um Staff Raid, momento único em Portugal e em toda a Europa.

A prática de um Staff Raid consiste na visita (em alguns casos por diversos dias) a um local onde tenha ocorrido um acidente com bombeiros. Nesse local são debatidas ideias, partilham-se experiências e cada um dá o seu contributo para uma boa e vigorosa discussão.
Este tipo de jornadas, são de interesse de toda a comunidade da proteção civil, porem, lamentavelmente nem todos lhe dão a importância devida, mas compreende-se, se estivessem nas jornadas entidades do governo, aí, até se batiam para ver quem ficava na fila da frente.

É de lamentar, que a Autoridade Nacional da Proteção Civil/CDOS Guarda, saiba da existência deste evento e não se digne a promove-lo, a estar presente e a contribuir para o seu desenvolvimento, vai-se lá saber porquê!

O aquecimento global para além de provocar um aumento da propagação dos incêndios florestais, um estudo aponta que em 2008 houve 5 vezes mais incêndios provocados pelo aquecimento do globo. Um maior número de incêndios, leva por sua vez a um maior risco dos agentes da proteção civil, dado que, a sua exposição em ocorrências é superior, levando a uma maior fadiga dos combatentes e como consequência direta, ao aumento da probabilidade de acidentes.

Todos sabemos que os bombeiros em Portugal combatem incêndios acima das suas capacidades humanas, onde a coordenação, gestão de meios, alimentação, descanso, etc. são uma falha constante. Por outro lado, a chama de entreajuda e o seu altruísmo, leva-os a esquecer todos os sacrifícios, mesmo que isso os leve muitas vezes à morte.

Recentemente li um artigo no Jornal Bombeiros de Portugal, onde dizia que nos últimos 10 anos morreram 67 bombeiros em missões de socorro, 20 dos quais em combate a incêndios florestais. Assim, sem mais desenvolvimentos questiono: o que já fez a tutela para evitar o aumento do número de mortes em Portugal? Mais formação? Mais equipamento de proteção individual? Melhores meios? Tecnologias de apoio à decisão? Profissionalizar mais bombeiros?

Bom, parece-me que nada disso foi feito… no entanto, o calor aperta e os incêndios estão aí…

Até à próxima,

Sérgio Cipriano

Sobre o autor

Sérgio Cipriano

Sérgio Cipriano

Natural de Gouveia e licenciado em Comunicação Multimédia pelo Instituto Politécnico da Guarda. Ingressou nos bombeiros com apenas 13 anos de idade e hoje ocupa o cargo de sub-chefe. É um dos fundadores da Associação Amigos BombeirosDistritoGuarda.com e diretor de informação do portal www.bombeiros.pt, orgão reconhecido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social.