DIGNIFICAR E VALORIZAR

0

Alexandre Carvalho

Tinha alguns temas para escrever nesta crónica, porém tive a necessidade de agradecer e reconhecer o esforço, o empenho e o trabalho de todos os trabalhadores que estão ligados à Conservação da Natureza e Florestas, que por estes dias e meses de confinamento continuam a executar um papel importante na conservação da natureza e na preparação da nossa floresta.

Desta vez juntarei, para além dos Sapadores Florestais, os Vigilantes da Natureza e o Corpo Nacional de Agentes Florestais, que podemos encontrar, todos os dias, faça sol ou chuva, nos parques nacionais, áreas protegidas, perímetros florestais ou simplesmente no nosso Concelho.

Os Sapadores Florestais eram estranhos para muitos dos portugueses naquilo que são e naquilo que fazem:. Também existirá esse desconhecimento em relação aos Vigilantes da Natureza e ao Corpo Nacional de Agentes Florestais.

Lancei um desafio a três elementos dos Vigilantes da Natureza, dos Sapadores Florestais e do Corpo Nacional de Agentes Florestais, para que me resumissem a sua profissão e este foi o resultado:

Ser Vigilante da Natureza não é apenas fiscalizar e sensibilizar os cidadãos para a prática de crimes ambientais, que até aqui sempre se cometeram sem grande preocupação! É conhecer as gentes e os territórios, lutando diariamente para preservar um bem que é de todos e que muitos desprezam. Monitorizamos espécies, rios e ar, salvaguardamos a saúde de todos por detrás das câmaras e dos holofotes sem pedir nada em troca, apenas que deixem a natureza seguir livre e selvagem. O equilíbrio entre Homem e Natureza é difícil de alcançar, mas os Vigilantes da Natureza estão lá! 365 dias por ano! Para melhorar a interação entre ambos!” Carla Luís – Vigilante da Natureza em Vila Real

 

“Sapador Florestal é um trabalhador que executa a sua missão de inverno na limpeza da floresta, atuando nos planos de defesa da floresta contra incêndios, preparamos a nossa floresta e matos para resistir aos fogos do verão. Por sua vez no verão executamos vigilância nas áreas designadas, realizamos a primeira intervenção a fogos nascentes, apoiamos o combate, efetuamos rescaldos e consolidação pós-incêndio. Para além disto muitos de nós ainda executam o combate à vespa velutina, estão no apoio à retaguarda no combate à pandemia com ações de desinfeção, estão na linha da frente em ações de reflorestação e em muitas outras funções. Portugal pode contar com os Sapadores Florestais seja de Inverno ou de Verão.” Márcio Roque – Brigada de Sapadores Florestais 1-165 na CIMVDL

 

O Corpo Nacional de Agentes Florestais é um corpo de trabalhadores dotados de formação para a realização de vários trabalhos muitos deles equiparados ao do Sapador Florestal no que toca a silvicultura preventiva, realizamos ainda autos de marca, corte de árvores, desbastes, desramações, controlo fitossanitário, bem como para colaborar na vigilância de espaços florestais, atuação na primeira intervenção, apoio ao combate e rescaldo em incêndios rurais, sendo a sua atividade exercida em Matas Nacionais, Perímetros Florestais e Áreas Protegidas. O que nos distingue dos Sapadores Florestais é sermos funcionários do ICNF.” Vítor Nunes – CNAF em Castelo Branco

 

 

É preciso continuar a dignificar e valorizar o trabalho e os trabalhadores, mesmo com todos os problemas que a pandemia nos trouxe. Estes homens e mulheres continuam empenhados em executar o seu trabalho, ajudando a preservar aquilo que é de todos nós.

Para todos os Sapadores Florestais, Vigilantes da Natureza e Corpo Nacional de Agentes Florestais, o nosso OBRIGADO por continuarem dedicados e empenhados a conservar, proteger, fiscalizar, monitorizar e vigiar aquilo que é de todos nós.

 

HÁ HOMENS QUE LUTAM UM DIA, E SÃO BONS

Há homens que lutam um dia, e são bons;

Há outros que lutam um ano, e são melhores;

Há aqueles que lutam muitos anos, e são muito bons;

Porém há os que lutam toda a vida

Estes são os imprescindíveis.

 

BERTOLT BRECHT

 

Alexandre Carvalho

About author

Daniel Rocha

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda. Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).