Lei pode levar comandantes a tribunal já no próximo ano

0

bocaO Conselho Nacional de Bombeiros reúne já na próxima semana, para discutir um projeto de lei que define detalhadamente os procedimentos que os elementos de comando e comandantes distritais devem seguir quando estes atuam numa ocorrência da sua tutela.

O documento elaborado pelo Ministério da administração Interna (MAI), justifica esta medida com o facto de, por um lado ter recebido queixas de diversos pontos de país relativamente à atuação dos comandantes, por outro, foi a forma que o MAI encontrou de obrigar os comandantes a fazerem formação que se negam a fazer.

Contatada pelo «Boca» d’ Incêndio, Anabela Rodrigues, Ministra da Administração Interna, revela que “sei que a medida não é de todo justa, mas como se costuma dizer aqui por Coimbra, paga o justo pelo pecador”.

Anabela Rodrigues, que ao que tudo indica se manterá na próxima legislatura, não poupa elogios ao bombeiros, todavia referiu que “os comandantes têm mais formação que nunca, têm equipamentos, veículos e bombeiros formados, o ministério não consegue compreender porque é que continuam haver incêndios em que a eficácia na sua extinção está situada na ordem dos 95%, mas por outro lado, existem incêndios em certas zonas do país que é uma autêntica aberração”.

O projeto de lei a que o «Boca» d’ Incêndio teve acesso, refere no seu artigo 5º. na alínea b) que: ”Todo e qualquer Comandante Operacional de Socorro (COS), que viole os procedimentos protocolados na formação ministrada pela E.N.B., deve ser sujeito a um processo de averiguações, seguido de uma queixa-crime no ministério público local”. Por outro lado, na alínea c) do mesmo artigo, refere que “Se no momento em que o referido COS cometer o crime, não tiver formação adequada às funções que lhe são confiadas, deve o Instituto Nacional da Conservação da Natureza, ordenar de imediato a sua detenção”.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), através do seu relações públicas, refere ao «Boca» d’ Incêndio “…não existe no país, nenhum comandante distrital que não tenha formação para exercer as funções que lhes estão confiadas”, no entanto, assumindo meia-culpa, a ANPC diz que ainda não encontrou uma forma de obrigar os comandante dos corpos de bombeiros (que não têm formação há mais de 10 anos de quadros de comando), a terem formação devidamente certificada, esta medida, refere ,”vem colmatar essa falha”. A Autoridade refere ainda que, deve cumprir-se a lei e espera que as intenções que levaram à sua criação possam sortir efeitos já em 2016.

Já a liga de bombeiros lamenta a medida e diz que o país vai ficar mais pobre, dado que, vai deixar de poder contar com os barrigudos e com algumas figurinhas carismáticas, por outro lado, mostrando-se confiante, Jaime Marta Soares refere que passamos a ter comandantes distritais e locais com a capacidade de cumprir os índices de massa corporal e todos os exercícios físicos a que a lei os obriga.

Fonte próxima do «Boca» d’ Incêndio, referiu que o comandante Jaime Marta Soares já estabeleceu um protocolo com o restaurante Vitaminas, para a sua abertura na casa nº. 18, na rua Eduardo Noronha. No entanto, a mesma fonte não afirmou nem desmentiu, se isto é uma estratégia de Jaime Soares de voltar a ser novamente comandante do corpo de bombeiros.

 

 




Sobre quem enviou a noticia

«Boca» d’ Incêndio

«Boca» d’ Incêndio

A «Boca» d’ Incêndio é o nome que intitula uma rubrica humorista do portal bombeiros.pt. Jornalistas e bombeiros desenvolvem semanalmente notícias humorísticas que “esmiúçam” os bastidores do mundo dos Bombeiros Portugueses e da Proteção Civil. Apesar de devidamente identificada como «Boca» d’ Incêndio, esta rubrica leva a que alguns dos nossos leitores acreditem no seu conteúdo, derivado à proximidade das notícias com a realidade. No entanto, todas as notícias publicadas na «Boca» d’ Incêndio são puramente ficcionais ou não e não pretendem mais do que trazer sorrisos e bom humor ao universo dos Bombeiros Portugueses e da Proteção Civil. Sorria e esteja atento às madrugadas de Sábado, no momento em que a «Boca» d’ Incêndio jorrará!