Ampliação do quartel da secção de Freixo dos bombeiros é promessa cumprida

0
Imagem: Correio do Minho

Imagem: Correio do Minho

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima assinou ontem o ‘Auto de Consignação da Empreitada’ para ampliação das instalações da secção de Freixo dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima. As obras, avaliadas em cerca de 340 mil euros, vão ser feitas pela empresa ‘Freitas Costa & Filhos Lda’.

Durante a assinatura do documento, o presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima, Victor Mendes, sublinhou que foi cumprida “uma promessa de dotar os nossos bombeiros das melhores infra-estruturas e de equipamentos para poderem dar resposta àquilo que são as necessidades das populações numa matéria importante que é a segurança dos bens e das pessoas”.

Victor Mendes destacou ainda que a remodelação das instalações resultou de uma candidatura aos fundos comunitários. “Em 60 candidaturas, apenas duas foram aprovadas e uma dela foi esta, o que significa a qualidade do projecto”, disse o edil.
O autarca limiano acrescentou que, em matéria de protecção civil, “temos concretizado praticamente todos os objectivos a que nos propusemos, e isso é significativo do que tem sido a nossa estratégia também no âmbito da Protecção Civil Municipal”.

Victor Mendes apelou ainda a um maior envolvimento da comunidade no sentido de participar activamente na vida dos bombeiros.

Referindo-se à empresa que vai realizar as obras, Victor Mendes salientou tratar-se “de uma empresa que merece toda a confiança. Já trabalhou connosco no âmbito da construção da EB1 (escola básica) de Ponte de Li-ma e as coisas correram muito bem”.

O presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima, Pedro Saraiva, lembrou a importância de ter um posto avançado dos bombeiros em Freixo (para mais rapidamente acudir às populações do sul do concelho), mas lembrou que tal estrutura “implica mobilização de meios e custos. Torna-se necessário ter consciência de que a gestão terá que ser feita de forma racional.”

O mesmo responsável também apelou à solidariedade da população para a aquisição de equipamentos e meios.
O comandante da corporação, Carlos Lima, frisou que “estamos ansiosos para que a obra seja concluída, porque temos 35 voluntários e as condições que lhes oferecemos não são as melhores. Tanto para os operacionais, em termos de camaratas, como para o parque automóvel. É uma obra necessária”, disse o responsável.

O presidente da Junta de Freguesia de Ardegão, Freixo e Mato, Hilário Dantas, defendeu que a ampliação do quartel leva a população a “sentir-se com mais segurança”. A obra tem um prazo de execução de 300 dias.

Fonte: Correio do Minho

Sobre o autor

Ana Romaneiro

Ana Romaneiro

Nasceu em Évora onde cresceu e estudou. Desde muito cedo que partilha o gosto pela informática, que, a levou a tirar um curso profissional técnico de Gestão de Sistemas Informáticos, profissão que exerce na atualidade. A sua ligação aos bombeiros surge aos 13 anos ao entrar na fanfarra dos Bombeiros de Évora, onde permaneceu até 2013. Na atualidade integra a corporação os Bombeiros de Reguengos de Monsaraz, no posto de bombeira de 2º.