Município de Esposende vai erguer monumento ao bombeiro

0
Imagem: Correio do Minho

Imagem: Correio do Minho

A Câmara Municipal de Esposende vai erguer um Monumento ao Bombeiro, em homenagem aos “soldados da paz” do concelho.

O compromisso foi assumido pelo Presidente Benjamim Pereira, na sessão solene comemorativa do 125.º aniversário da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Esposende, que decorreu no passado sábado, 19 de março, na presença da Ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, e do Secretário de Estado da tutela, Jorge Gomes, entre várias outras individualidades. A sessão, que decorreu no quartel dos bombeiros, foi antecedida da apresentação de cumprimentos na Câmara Municipal, onde Benjamim Pereira felicitou a instituição e destacou o seu trabalho abnegado em prol das populações.

“O reconhecimento público e a evidenciação física da sua ação, dos seus valores e da sua importância na sociedade, fazem hoje mais sentido do que nunca”, afirmou Benjamim Pereira, ao anunciar a “prenda” do Município. Adiantou que o monumento evocativo dos “valores da solidariedade humana” vai situar-se na cidade, estando para o efeito já a decorrer contactos e prometeu que “será algo que orgulhará os bombeiros voluntários deste concelho”.

Reconhecendo que a falta de recursos humanos constitui um sério problema à continuidade das corporações de bombeiros voluntários, o Presidente lembrou que a Câmara Municipal vai criar um plano de incentivos sociais, como forma de fomentar o voluntariado e para o qual está a recolher contributos dos munícipes, admitindo que a medida pesará “sobremaneira” no orçamento municipal e realçando que o Município não poderá deixar de apoiar as demais instituições do concelho. Um passo que surge no seguimento daquilo que tem sido o posicionamento da Autarquia ao longo dos anos, assinalou o Autarca, recordando o aumento, em 2014, do subsídio anual, os constantes apoios para aquisição de viaturas, para melhoria e requalificação de instalação ou mesmo apoio logístico, tanto à corporação de Esposende como à de Fão.

Afirmando que a Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Esposende é uma das mais antigas instituições do concelho, o Presidente da Câmara Municipal destacou a sua importância no plano da Proteção Civil, considerando-a “um pilar fundamental da proteção e segurança da população”.

“Os Bombeiros de Esposende têm demonstrado sempre enorme altruísmo, capacidade de resposta e disponibilidade para servir”, afirmou, elogiando ainda “a capacidade técnica e o profissionalismo, cada vez mais evidente, na sua ação”, e destacou que “é uma instituição resiliente, que luta e perdura no tempo, apesar das enormes dificuldades com que vai convivendo”.

Benjamim Pereira expressou, assim, o reconhecimento do Município à Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Esposende, saudando a presença da Ministra e do Secretário de Estado da Administração Interna nestas comemorações o a quem deixou o pedido “para que se empenhem, na medida daquilo que são as disponibilidades financeiras do país, no sentido de ajudarem as Associações de Bombeiros e as deste Município em particular”. A encerrar a sua intervenção, o Presidente da Câmara Municipal expressou palavras de estímulo e incentivo à atual direção dos Bombeiros de Esposende, exortando os novos dirigentes a lutarem e a defenderem a instituição, “respeitando e inspirando-se no seu passado glorioso”.

A Ministra da Administração Interna felicitou a Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Esposende pela comemoração do 125.º aniversário e procedeu a entrega da Medalha de Mérito de Proteção e Socorro – Grau Ouro e do distintivo azul à instituição, salientando que “é justa e mais do que merecida”. Constança Urbano de Sousa reconheceu o importante trabalho que é desenvolvido pelos bombeiros voluntários, que considerou a “pedra basilar da Proteção Civil”, e deu nota do esforço do Governo na melhoria das condições para o desenvolvimento da sua atividade, enumerando algumas das medidas criadas.

A Ministra reconheceu que os Municípios são um parceiro estratégico e o “elo perfeito” em matéria de proteção civil e adiantou que é intenção do Governo estreitar essa parceria, com vista à criação de unidades locais de proteção civil ao nível das freguesias.

Da parte da Associação Humanitária de Bombeiros usaram da palavra o Presidente da Mesa da Assembleia Geral, Agostinho Teixeira, que, entre outros aspectos, recordou o percurso da instituição e defendeu o reconhecimento do associativismo e voluntariado dos bombeiros, o Comandante Juvenal Campos, que deu nota do trabalho desenvolvido pela corporação e de algumas questões que se prendem com o seu funcionamento e operacionalidade, bem como o Presidente da Direção, Alberto Bermudes, que recordou a história da instituição e agradeceu a todos quantos, ao longo dos anos, a têm apoiado, particularmente aos que são sócios há mais de 50 anos e que foram agraciados nesta cerimónia.

Na sessão intervieram também o Presidente da Federação de Bombeiros do Distrito de Braga, Fernando Vilaça e o Presidente do Conselho Executivo da Liga Portuguesa de Bombeiros, Jaime Marta Soares, responsáveis que felicitaram a Associação Humanitária pela comemoração do 125.º aniversário e que enalteceram o trabalho que a instituição presta à comunidade em regime de voluntariado, tendo aproveitado também para reivindicar melhores condições para os “soldados da paz”.

O programa comemorativo integrou, ainda no dia 19, missa em sufrágio de bombeiros, dirigentes, benfeitores e beneméritos falecidos e o habitual jantar convívio, e, no dia 20, um desfile motorizado e apeado das Corporações de Bombeiros do Distrito de Braga, que decorreu na Av. Eduardo Arantes e Oliveira, em Esposende.

*** Nota elaborada pelo gabinete de comunicação da C. M. de Esposende ***

Fonte: Correio do Minho

Sobre o autor

Ana Romaneiro

Ana Romaneiro

Nasceu em Évora onde cresceu e estudou. Desde muito cedo que partilha o gosto pela informática, que, a levou a tirar um curso profissional técnico de Gestão de Sistemas Informáticos, profissão que exerce na atualidade. A sua ligação aos bombeiros surge aos 13 anos ao entrar na fanfarra dos Bombeiros de Évora, onde permaneceu até 2013. Na atualidade integra a corporação os Bombeiros de Reguengos de Monsaraz, no posto de bombeira de 2º.