Morte de comandante dos bombeiros de Sesimbra deixa corporação de luto e consterna vila

0

fernao ferroBombeiros receberam chamada para ocorrência ás 12h00. Quando chegaram ao local constataram que a vítima era o seu comandante. Ricardo Cruz, de 43 anos, era casado e deixa órfãos filhos menores, uma menina e um menino. Residia em Fernão Ferro

O comandante dos Bombeiros Voluntários de Sesimbra faleceu ontem, de forma súbita, quando se encontrava dentro da viatura, por volta do meio-dia.

Ricardo Cruz tinha 43 anos de idade e nada fazia prever uma morte súbita. Casado e pai de dois filhos menores, um casal, o jovem comandante deixa de luto a corporação e gera consternação na vila de Sesimbra e em Fernão ferro onde residia com a família.

Os bombeiros de Sesimbra receberam chamada para ocorrência às 12h00, para a zona do Zambujal, Casal das Figueiras, no concelho de Sesimbra. Saíram com uma ambulância e quando chegaram ao local constataram que a vítima era o seu comandante.

Luís Saraiva, segundo comandante dos Bombeiros Voluntários de Sesimbra: “É uma perda enorme. Era o nosso comandante, o líder do corpo de bombeiros é sempre uma perda e ainda mais por uma doença súbita, que nos apanha de surpresa”, afirmou, acrescentando tratar-se de “uma pessoa nova, que ainda tinha muitos anos para dar à instituição e à causa publica e que desaparece prematuramente”.

A consternação é partilhada por muita gente nas duas localidades. O deputado municipal do PS, Manuel José Pereira, por exemplo, declarou ontem estar profundamente chocado com a notícia do falecimento do jovem comandante.

Ricardo Cruz era comandante da corporação desde 2003, altura em que sucedeu a Fernando gato que foi eleito presidente da direcção da associação humanitária. Manteve-se no comando até ontem, apenas com um interregno pouco superior a dois anos, em que o cargo foi ocupado por outro comandante.

O corpo de Ricardo Cruz encontra-se no Hospital de S. Bernardo, em Setúbal, para autópsia.

Fonte: Setúbal na Rede

Sobre o autor

Ana Romaneiro

Ana Romaneiro

Nasceu em Évora onde cresceu e estudou. Desde muito cedo que partilha o gosto pela informática, que, a levou a tirar um curso profissional técnico de Gestão de Sistemas Informáticos, profissão que exerce na atualidade. A sua ligação aos bombeiros surge aos 13 anos ao entrar na fanfarra dos Bombeiros de Évora, onde permaneceu até 2013. Na atualidade integra a corporação os Bombeiros de Reguengos de Monsaraz, no posto de bombeira de 2º.