Bombeiros Voluntários de Viatodos são “caso de sucesso a nível nacional”

0

viatodos

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Viatodos celebraram este fim-de-semana o 32.º aniversário. Com mais de 27 mil sócios e um orçamento anual que ultrapassa um milhão de euros, a jovem corporação foi apontada, ontem, na sessão solene de encerramento das comemorações, como “um caso de sucesso” e “exemplo do que deve ser a postura dos bombeiros”.

Amadeu Lemos, presidente da direcção da Associação Humanitária, destacou os mais de 376 mil quilómetros percorridos em 2015 para ocorrer a 152 incêndios e a um total de 2 727 situações de emergência.
A capacidade operacional dos Bombeiros Voluntários de Viatodos está expressa nos 1533 doentes transportados o ano passado e em quase meio milhar de outros serviços.

O trabalho na área social foi também evidenciado com números, nomeadamente as mais de 21 mil refeições servidas em 2015 na cantina social da corporação que tem o estatuto de instituição particular de solidariedade social.
Em dia de aniversário, o comandante em exercício, Mário Torres, pediu apenas apoio da Câmara Municipal de Barcelos para a aquisição de equipamentos de protecção individual necessários para o combate a fogos florestais e urbanos.

Presente na sessão solene de ontem, o presidente da Câmara, Miguel Costa Gomes, voltou a garantir que a opção do seu executivo de não cortar nos apoios financeiros às corporações de bombeiros é para manter, manifestando-se disponível para outro tipo de colaboração não regular.
O edil barcelense cumprimentou especialmente o grupo de jovens em fase de formação para integração no corpo dos Bombeiros Voluntários de Viatodos, sublinhando o seu “exemplo de cidadania numa actividade voluntária e de risco”.

O comandante operacional distrital da Autoridade Nacional de Protecção Civil, Hercílio Campos, apelou, por seu lado,
aos elementos do corpo activo da corporação sediada na zona sul do concelho de Barcelos que “não prescindam” da sua missão, contribuindo, assim, “para reduzir a elevada rotatividade entre os bombeiros”.

Em representação da Liga dos Bombeiros Portugueses, José Luís Morais apontou as medidas inscritas no recém aprovado Orçamento de Estado de 2016 que representam incentivos à acção dos ‘soldados da paz’, nomeadamente a isenção de taxas moderadoras para os elementos das corporações de bombeiros e a isenção de imposto de circulação para todos os veículos operacionais.

A pensão de sangue, o programa de vigilância médico-sanitária, a criação de zonas operacionais e a instituição de uma direcção nacional de bombeiros autónoma são matérias nas quais a direcção da Liga promete continuar a reivindicar junto do poder político.
Noutra intervenção da sessão solene de aniversário, o presidente da assembleia geral dos Bombeiros Voluntários de Viatodos, Costa Araújo, registou a actividade operacional e social da instituição como “um caso de sucesso a nível nacional”, beneficiando do apoio da Câmara de Braga, Junta de Freguesia, empresas e beneméritos.

Fernando Vilaça, presidente da Federação de Bombeiros do Distrito de Braga, elogiou também a capacidade que a corporação de Viatodos tem tido em “renovar e inovar” e em conseguir “o envolvimento da sociedade civil”.

Fonte: Correio do Minho

 

Sobre o autor

Ana Romaneiro

Ana Romaneiro

Nasceu em Évora onde cresceu e estudou. Desde muito cedo que partilha o gosto pela informática, que, a levou a tirar um curso profissional técnico de Gestão de Sistemas Informáticos, profissão que exerce na atualidade. A sua ligação aos bombeiros surge aos 13 anos ao entrar na fanfarra dos Bombeiros de Évora, onde permaneceu até 2013. Na atualidade integra a corporação os Bombeiros de Reguengos de Monsaraz, no posto de bombeira de 2º.