Bombeiros Voluntários de Braga passaram “a tormenta”

0

84565_230x180“A tormenta já lá vai”, declarou ontem o novo presidente da Associação Humanitária e Beneficiente de Bombeiros Voluntários de Braga, no discurso de tomada de posse para um mandato em que aposta na recuperação de benfeitores e associados e em prosseguir saneamento financeiro da instituição.

António Ferreira revelou a intenção de lançar uma grande campanha de angariação de associados individuais e empresariais, considerando que são estes “o principal suporte financeiro” da corporação. Nesse sentido, lançou “um apelo sentido a todos os bracarenses para que se façam sócios dos Bombeiros Voluntários”.

A direcção presidida por este capitão do Exército quer “sarar feridas” criadas por “vicissitudes várias” que afectaram o corpo activo dos Bombeiros Voluntários.
António Ferreira referia-se à crise interna que levou a saída, alguns anos atrás, de número significativo de bombeiros voluntários e de associados, em consequência de uma querela interna que também “dividiu a opinião pública”.

Dirigindo-se aos elementos do corpo activo, o presidente da direcção alertou que se vai “exigir mais em todos os aspectos” para verificar “quem tem verdadeiro espírito de bombeiro voluntário”.

A par da angariação de novos sócios, depois de a associação ter descido ao escasso número de 150, o novo presidente dos Bombeiros Voluntários de Braga prometeu não se conformar com o facto de a corporação que gere não dispor de instalações adequadas à sua missão. Braga “não teve capacidade, vontade e arrojo” de acompanhar o investimento realizado nos aquartelamentos da generalidade das corporações de bombeiros do distrito, lamentou António Ferreira, garantindo que, apesar de não se esperarem “tempos fáceis”, a nova direcção irá “sonhar outra vez com o quartel novo”, já que o actual está “completamente desadequado e precisa urgentemente de reparação geral”.

84566_230x180Sem parada para formatura e instrução, com espaço insuficiente para o parque de viaturas e desadequadas condições para corpo activo feminino, o novo quartel foi também reivindicada pelo comandante dos Bombeiros Voluntários, António Cerqueira, na sessão solene de ontem, que assinalou o 139.º aniversário da associação.

O actual quartel, apesar das obras de beneficiação que se perspectivam, continuará exíguo para albergar o parque de viaturas da corporação, ontem enriquecido com duas novas ambulâncias.

Apesar destes constrangimentos, o novo presidente destacou o crescimento da actividade operacional no último ano, comprovada em 177 combates a incêndios, 336 saídas para

socorro de pessoas e animais, 4 092 serviços INEM, 20 504 doentes transportados para consultas, internamentos e tratamentos e 954 transferências inter hospitalares. Ao longo de 2015, as viaturas dos Bombeiros Voluntários de Braga percorreram 536 mil quilómetros, “números impressionantes, impensáveis, se nos resignássemos”, atestou o novo presidente da direcção.

Todos pedem mais apoio da Câmara aos Bombeiros

O presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) solicitou ontem o reforço do apoio da Câmara Municipal de Braga aos Bombeiros Voluntários. Na festas do 139.º aniversário da corporação, aproveitada para a assinatura do protocolo ‘Fazer Bem’, através do qual a autarquia subsidia a corporação com 15 mil euros anuais e apoio logístico e fiscal, Jaime Marta Soares apelou a um “substancial aumento de financiamento”.

Apesar de a cidade dispor de um corpo de Bombeiros Municipais, o presidente da LBP é de opinião de que o apoio municipal deve ser acrescido.

A presidir às celebrações do aniversário dos ‘Voluntários’, o presidente da Câmara, Ricardo Rio, referiu que o protocolo, o primeiro assinado em mais de duas décadas, “é um princípio de conversa”. Garantindo um reforço do apoio camarário aos Bombeiros Voluntários, o edil sublinhou que “é importante exigir responsabilidades aos bracarenses” nesta matéria, devendo ser estes “o principal apoio” da corporação.

84567_230x180Segundo Ricardo Rio, “quem deve avaliar se os Bombeiros Voluntários são necessários são os bracarenses”, num apelo à adesão à campanha de angariação de sócios que vai arrancar.
O autarca recordou que no actual mandato autárquico a corporação recebeu comparticipação de 20 mil euros para a aquisição de uma viatura.

O novo presidente dos Bombeiros Voluntários, António Ferreira, que ontem tomou posse, considerou que o montante do protocolo estabelecido com a Câmara de Braga “não está em causa”, valorizando o dirigente “sobretudo o gesto e o significado” do acordo.
O anterior presidente, António Machado, que rubricou o protocolo, solicitou a Ricardo Rio que “não discuide os Voluntários”.

Hercílio Campos, comandante operacional distrital, classificou este “protocolo inédito, uma “atitude de coragem” por parte da Câmara de Braga

Convidado também para a festa de tomada de posse e de aniversário dos Bombeiros Voluntários de Braga, o presidente da Federação de Bombeiros do Distrito de Braga, Fernando Vilaça, defendeu que a corporação, nesta nova fase da sua vida, “precisa de ser envolvida por toda a sociedade civil, de ter a cidade ao seu lado”. Ontem, aumentou em número e o peso institucional dos que se associaram ao aniversário.

Fonte: Correio do Minho

Sobre o autor

Ana Romaneiro

Ana Romaneiro

Nasceu em Évora onde cresceu e estudou. Desde muito cedo que partilha o gosto pela informática, que, a levou a tirar um curso profissional técnico de Gestão de Sistemas Informáticos, profissão que exerce na atualidade. A sua ligação aos bombeiros surge aos 13 anos ao entrar na fanfarra dos Bombeiros de Évora, onde permaneceu até 2013. Na atualidade integra a corporação os Bombeiros de Reguengos de Monsaraz, no posto de bombeira de 2º.