Bombeiros de Rebordosa criam cadeira de 4,5 metros para promover Bazar do Móvel

0

Evento começa esta sexta-feira à noite e prolonga-se até dia 10. Os visitantes podem encontrar mobiliário de qualidade, doado por empresas, a preços mais baixos, sendo que o valor angariado reverte para a corporação.

Se passar à porta do quartel dos Bombeiros Voluntários de Rebordosa e vir lá uma cadeira de madeira de grandes dimensões não estranhe. Trata-se de mais uma instalação, desenhada e produzida pelos soldados da paz desta corporação, para promover mais um Bazar do Móvel.

Esta iniciativa, que já vai na 27.ª edição, decorre de 1 a 10 de Julho e pretende, mais uma vez, angariar verbas para ajudar esta associação humanitária. Os moldes são os mesmos das edições anteriores. Centenas de móveis doados por empresas da região serão vendidos, a preços mais baixos e, muitas vezes, simbólicos. Todos os anos, o Bazar, que acontece ao mesmo tempo que as festas da cidade de Rebordosa, é visitado por milhares de pessoas.

Vantagens há para todos: os visitantes compram mais barato; os empresários divulgam a sua marca e os bombeiros angariam uma verba importante para equilibrar as contas da associação.

Os Bombeiros Voluntários de Rebordosa esperam receber a visita de milhares de pessoas durante a próxima semana. O motivo: comprar móveis a preços baixos.

A 27.ª edição do Bazar do Móvel vai arrancar esta sexta-feira, pelas 22h00, e é um evento importante para a tesouraria da instituição, assume Abel Moreira. Para o presidente da direcção desta associação humanitária esta é também uma forma de estreitar relações com os empresários e a população. São esperados visitantes de todo o lado, como vem acontecendo nas últimas edições, desde o Alentejo a Trás-os-Montes, e a corporação espera arrecadar cerca de 35 mil euros com a venda de centenas de peças de mobiliário doadas por empresários da região. “As melhores empresas do mundo oferecem-nos móveis. Temos as melhores fábricas de mobiliário e a qualidade do mobiliário tem aumentado”, garante Abel Moreira.

Todo o evento é posto de pé pelos voluntários, que este ano se empenharam na construção de um peça que quer ser mais um atractivo para visitar o certame: uma cadeira de madeira com mais de 4,5 metros de altura.

Luís Cruz, designer de mobiliário e bombeiro voluntário, junta, nesta altura do ano, o útil ao agradável, e põe os seus conhecimentos ao serviço da corporação. Desde 2011 que têm apostado na criação de peças icónicas para divulgar o Bazar. Desta vez, apostaram nesta cadeira de grandes dimensões.

Entre 20 a 25 bombeiros trabalharam cerca de 35 horas para pôr a cadeira desenhada por Luís Cruz de pé. “Eu dou as ideias, mas os bombeiros estão sempre prontos a executar, e muitos trabalham na área do mobiliário”, salienta.

As ripas de madeira que são a base do projecto foram doadas por duas empresas. “Normalmente são desperdício e vão para queimar”, daí esta cadeira, que consiste num emaranhado de ripas de madeira, ter também associada uma vertente de reciclagem e de reutilização de recursos.

Além de promover o evento, este objecto é um reconhecimento à importância do sector do mobiliário e ao contributo que dão para a corporação, salienta Luís Cruz. Por outro lado, procura despertar nas pessoas, tão habituadas a esta indústria, para um sentido mais crítico a uma peça quase artística, e também unir os bombeiros na realização de um objectivo.

Sendo uma instalação, a cadeira tem um cariz provisório e só deve durar os 10 dias do evento. Para o ano, haverá nova obra, promete o bombeiro.

Já o presidente da direcção da corporação de Rebordosa vai mais longe. “Não está à venda, mas se alguém quiser comprar por um valor justo fazemos negócio”, diz em tom de brincadeira.

Fonte: Verdadeiro Olhar

Sobre o autor

Ana Romaneiro

Ana Romaneiro

Nasceu em Évora onde cresceu e estudou. Desde muito cedo que partilha o gosto pela informática, que, a levou a tirar um curso profissional técnico de Gestão de Sistemas Informáticos, profissão que exerce na atualidade. A sua ligação aos bombeiros surge aos 13 anos ao entrar na fanfarra dos Bombeiros de Évora, onde permaneceu até 2013. Na atualidade integra a corporação os Bombeiros de Reguengos de Monsaraz, no posto de bombeira de 2º.