US-2i: o futuro avião de combate a incêndios na Europa?

0

O Japão quer entrar no mercado internacional de venda de aviões para operações de socorro e combate a incêndios.

É reconhecida a capacidade produtiva do Japão em matérias tão diversas como a tecnologia e a mecânica. No entanto, as pesadas restrições à exportação dos seus produtos na área do armamento fizeram com que a maior parte dos seus desenvolvimentos nesta área sofressem um completo desconhecimento por parte de todo o mundo.

Para já, existem expectativas de que o US-2i, um avião anfíbio de 50 toneladas produzido pela empresa Shinmaywa, possa vir a “agitar as águas” do mercado internacional na área da Protecção Civil e Socorro Marítimo. Como cartão de visita, apresenta a capacidade (e a particularidade única no mundo) de amarar – leram bem – com ondas  mar agitado, devido a possuir um “casco” com um espaço oco capaz de de três metros, e de efectuar patrulhamentos a baixa velocidade (100 km/h).

A marinha japonesa utiliza dez deste aviões para missões de patrulhamento e socorro, uma vez que estes aviões podem voar durante duas horas e atingir uma distância de  1900 quilómetros. Os primeiros contactos para a venda deste avião no mercado internacional resultaram numa intenção de compra da Índia para uma dúzia de aviões.

Também as autoridades  francesas foram contactadas de forma a conhecerem o US-2i, que terá um preço aproximado de 100 milhões de euros. Na realidade operacional francesa, onde quase toda a actividade é atribuída aos aviões anfíbios Canadair CL-215, é reconhecida a superioridade operacional dos US-2i no combate a incêndios florestais, pois este pode transportar até 15 toneladas de água (o Canadair apenas 5 toneladas). Pode também desempenhar diversas missões, sendo capaz de operar também nos socorros a náufragos.

Características

  • Tripulação: 11
  • Capacidade: 20 passageiros ou 12 macas
  • Comprimento: 33.46 m
  • Envergadura: 33.15 m
  • Altura: 9.8 m
  • Área: 135.8 m2
  • Peso (sem carga): 25,630 kg
  • Peso Bruto: 43,000 kg (levantar voo a partir da água)
  • Peso Máximo: 47,700 kg (levantar voo a partir da pista)
  • Motores: 4 × Rolls-Royce AE 2100J turboprop, 3,424 kW (cada motor)
  • Motor: 1 × LHTEC T800 turboshaft Boundary layer control compressor, 1,017 kW
  • Hélices: 6-bladed Dowty R414

Performance

  • Velocidade máxima: 560 km/h
  • Velocidade de cruzeiro: 480 km/h a 6,000 m
  • Alcance: 4,700 km
  • Tecto de serviço: 7,195 m
  • Takeoff (pista): 490 m
  • Landing (pista): 1,500 m
  • Takeoff (água) com carga: 280 m
  • Landing (água) com carga: 330 m

Poderá este avião japonês de utilização militar vir a ser uma resposta concreta ao salvamento de pessoas e  ao combate a incêndios na Europa? E em Portugal?

Vê o vídeo:

Sobre o autor

Daniel Rocha

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda, mas foi em Famalicão da Serra que cresceu e conheceu o mundo dos bombeiros integrando o corpo activo. É Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, e possui um Curso de Especialização em Ensino de Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS), ambos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades, entre as quais o teatro e a escrita, tendo publicado com alguma regularidade desde 2011. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).