Proteção Civil alerta para tempo quente e seco com risco de incêndio

0
Imagem: Andre Ferreira/Lusa

Imagem: Andre Ferreira/Lusa

A Autoridade Nacional de Proteção Civil alertou, este sábado, para um agravamento significativo, nos próximos dias, das condições meteorológicas associadas ao tempo quente e seco e, consequentemente, dos índices de risco de incêndio.

Num aviso à população, a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) refere que estão previstos um aumento da intensidade do vento no litoral oeste e nas terras altas, a diminuição da humidade relativa do ar (para valores inferiores a 30% nas regiões do sul e do interior centro e norte) e a continuação de uma temperatura máxima entre 30 e 35 graus centígrados nas regiões do sul e interior centro.

Está ainda previsto o agravamento das condições meteorológicas a partir de domingo e segunda-feira nas regiões do litoral norte e centro, com um aumento significativo da temperatura para valores de máxima acima de 30 graus na generalidade do território (em especial nas regiões do sul e bacia do rio Tejo, com valores entre 35 e 37 graus), e a diminuição da humidade relativa do ar para valores inferiores a 30%.

Como efeito expectável, Portugal continental terá tempo quente e seco e vento moderado, com a permanência de condições favoráveis à ocorrência e propagação de incêndios florestais.

A ANPC aproveita para recordar que nesta altura do ano, e de acordo com a lei, não é permitido nos espaços rurais realizar queimadas, fogueiras para recreio ou lazer ou confecionar alimentos, sendo também proibido utilizar equipamentos de queima e de combustão destinados à iluminação ou à confeção de alimentos.

Proibido é igualmente queimar matos cortados e amontoados e qualquer tipo de sobrantes, lançar balões com mecha acesa ou qualquer outro tipo de foguetes e fumar ou fazer lume nos espaços florestais e vias que os circundem.

Nos trabalhos agrícolas e florestais, a ANPC recomenda que se mantenham as máquinas e equipamentos limpos de óleos e poeiras, que se abasteçam as máquinas a frio e em locais com pouca vegetação e que se tenha cuidado com as faíscas durante o seu manuseamento, evitando a sua utilização nos períodos de maior calor.

À população que mora junto a uma área florestal, aconselha que limpe o mato à volta da sua habitação e guarde, num lugar seguro e isolado, lenha, gasóleo e outros produtos inflamáveis.

Fonte: JN

Sobre o autor

Ana Romaneiro

Ana Romaneiro

Nasceu em Évora onde cresceu e estudou. Desde muito cedo que partilha o gosto pela informática, que, a levou a tirar um curso profissional técnico de Gestão de Sistemas Informáticos, profissão que exerce na atualidade. A sua ligação aos bombeiros surge aos 13 anos ao entrar na fanfarra dos Bombeiros de Évora, onde permaneceu até 2013. Na atualidade integra a corporação os Bombeiros de Reguengos de Monsaraz, no posto de bombeira de 2º.