Ponto de situação: Combate a incêndios de Faro, Bragança, Vila Real e Guarda

0

canadair incêndioHá a esta hora 52 incêndios em curso, onde 2105 operacionais, apoiados por 663 viaturas e 25 meios aéreos, se esforçam por conter as chamas que teimam em não acalmar. Destes, destacam-se pela sua duração, complexidade ou número de operacionais, 4 incêndios.

Os quatro incêndios em Faro, Bragança, Vila Real e Guarda eram os que às 7h30 desta quinta-feira mais preocupavam os bombeiros e por isso o seu combate vai ser reforçado com meios aéreos, incluindo um Beriev, disse o adjunto operacional Marco Martins.

“Neste momento temos quatro incêndios ativos no distrito de Bragança, Faro, Vila Real e Guarda. O incêndio de Monchique (Faro) é o que nos preocupa mais face ao que foi desenvolvido durante a noite”, adiantou o adjunto operacional da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

O incêndio em Monchique, com duas frentes ativas, mobiliza 393 operacionais, com o apoio de 132 meios terrestres.

“O combate a este incêndio vai ser reforçado de manhã com dois aviões Fireboss e o avião russo Beriev”, disse Marco Martins. Para além destes três aviões, há mais 5 helicópteros ligeiros a apoiar as operações.

O responsável explicou que o incêndio de Monchique que sofreu um reacendimento às 19h57 de quarta-feira e que levou à evacuação de localidades e retirada de pessoas, desenvolveu-se de forma intensa durante a noite.

“Hoje de manhã não temos informação de que haja populações em risco”, disse.

Também a preocupar os bombeiros na manhã desta quinta-feira manhã estava o incêndio que deflagrou na terça-feira às 11h17 nas localidades de Lagoaça e Fornos, concelho de Freixo de Espada à Cinta, distrito de Bragança.

“Este incêndio passou entretanto para o concelho vizinho de Mogadouro”, disse Marco Martins, destacando que este fogo conta no seu combate com 369 operacionais, apoiados por 131 viaturas. Pela manhã, foi  reforçado com dois aviões Canadair e um helicóptero.

O adjunto operacional destacou também o incêndio nas freguesias de Corujeira e Trinta, no concelho e distrito da Guarda que está a ser combatido por 129 operacionais, com o auxílio de 34 viaturas e quatro meios aéreos (2 aviões médios e dois helicópteros).

“Também este incêndio vai ser reforçado durante a manhã com dois aviões fireboss. Este fogo está a desenvolver-se num local de difícil acesso. Não é possível fazer o combate com meios apeados. Esperemos que com este reforço o combate evolua favoravelmente”, disse.

Marco Martins deu ainda conta de um incêndio em Soutelinho de Mezio, freguesia de Telões, no concelho de Vila Pouca de Aguiar, distrito de Vila Real, que foi entretanto dado como dominado. Estão no terreno 293 operacionais apoiados por 87 viaturas e um helicóptero

O adjunto operacional salientou ainda que não há casas nem pessoas em risco nos quatro incêndios que mais preocupam esta quinta-feira de manhã.

(Fonte: Observador/ Bombeiros.pt)

Sobre o autor

Daniel Rocha

Daniel Rocha

Nasceu na Guarda, mas foi em Famalicão da Serra que cresceu e conheceu o mundo dos bombeiros integrando o corpo activo. É Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, e possui um Curso de Especialização em Ensino de Português como Língua Estrangeira e Língua Segunda (PLELS), ambos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). Para além da vida de professor, dedica-se a muitas outras actividades, entre as quais o teatro e a escrita, tendo publicado com alguma regularidade desde 2011. A sua ligação e gosto pelo mundo da imprensa levaram-no a ser colaborador da Rádio Altitude (Guarda) e do jornal Notícias de Gouveia (Gouveia).