Municipais de Santa Cruz sem condições para ascenderem a sapadores

0

20160122_113607Requisitos exigidos refreia ânimos no envelhecido corpo de bombeiros.

Filipe Sousa refreou hoje os ânimos daqueles que defendem a passagem dos bombeiros municipais ao estatuto de sapadores. O presidente da Câmara de Santa Cruz fê-lo em público e no dia de aniversário (84º) da corporação de Bombeiros Municipais de Santa Cruz, ao exigir a devida “ponderação” na avaliação que importa fazer, ao mesmo tempo que criticou aqueles que abrem a boca a reivindicar a mudança de estatuto só para garantir bombeiros associados às organizações sindicais.

Diante de dezenas de bombeiros santa-cruzenses perfilados defronte dos Paços do Concelho, o autarca do JPP não evitou o tema que tem estado na ordem do dia: “Se me perguntarem se aquilo que o Município está a dar [aos bombeiros] é suficiente eu sou o primeiro a dizer que não. É preciso muito mais”, reconheceu, acrescentando que importa “valorizar não só a missão mas o papel que representam para a sociedade.” Estava dado o mote para abordar a passagem dos bombeiros municipais a sapadores, dizendo-se mesmo “extremamente sensível” a essa possibilidade. Contudo “não basta ter vontade de fazer mas acima de tudo ter a responsabilidade de saber quando se pode fazer”, alertou, antes de apontar as razões que motivam a sua reserva nesta matéria.
Ciente que os requisitos para passar à condição de sapadores colidem com a realidade do envelhecido corpo de bombeiros dos Municipais de Santa Cruz, o presidente do Município recusa ‘alinhar’ em qualquer decisão que não seja devidamente ponderada e discutida. Que admitiu poderá demorar meses ou até mais de um ano.

Antes da cerimónia realizada no centro da cidade, com discursos e atribuição de distinções Honoríficas, houve uma eucaristia solene de Acção de Graças, na Igreja Matriz de Santa Cruz, seguida de guarda de honra e deposição de flores em homenagem aos bombeiros falecidos, no cemitério Municipal de Santa Cruz.

Nesta comemoração a secretária regional da Inclusão e Assuntos Sociais fez-se representar pelo responsável pelo Serviço Regional de Protecção Civil, Luís Neri.

FONTE: dnoticias.pt

Sobre o autor

Pedro Fonseca

Pedro Fonseca

É natural e residente em Gouveia, a sua vida profissional está ligada nestes últimos 16 anos à área de consultadoria em seguros. Em 2013 foi fundador da empresa LICATEL - Soluções em Telecomunicações onde é sócio/gerente. Desde tenra idade ingressou nas camadas jovens dos Bombeiros de Gouveia tendo permanecido alguns anos nos quadros, ultimamente passou pela Direcção da referida Instituição dinamizando a área de comunicação e imagem. Frequentou a licenciatura em Gestão de Marketing no IPAM de Aveiro. Passou por diversas Associações de Gouveia dando o seu contributo.