Miguel Macedo apela a mais prevenção na defesa da floresta
By Mónica Costa On 13 Mar, 2014 At 05:47 PM | Categorized As Notícias | With 0 Comments

Miguel MacedoO ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, destacou ontem o reforço da instrução no novo plano estratégico de formação dos bombeiros, mas alertou para a necessidade de reforçar a prevenção nos fogos florestais.

“Não é uma revolução, mas é um passo muito significativo em frente”, afirmou o ministro, sobre o Plano Estratégico de Formação dos Bombeiros Portugueses 2014-2016 apresentado hoje em Sintra. Miguel Macedo salientou que o plano responde à melhoria na área do combate, mas sublinhou a importância da prevenção, até “do ponto de vista pedagógico”.

Embora reconhecendo que “as florestas não se limpam com leis”, o governante considerou que tem sido efectuado um esforço legislativo para alterar o enquadramento jurídico da gestão florestal, que precisa de ser complementado com acções no terreno envolvendo as diversas entidades.

O plano apresentado pela Escola Nacional de Bombeiros (ENB) aposta na formação dos bombeiros nas corporações e o reforço da componente de instrução. O documento estabelece que a formação básica deve realizar-se nos corpos dos bombeiros e nas 29 unidades locais de formação existentes no país, assegurando os centros de formação da ENB a qualificação de elementos de comando, graduados e formadores.

A formação deve ser realizada de preferência nos períodos de disponibilidade dos bombeiros voluntários, nomeadamente em horário nocturno e durante o fim de semana. O presidente da ENB, José Pereira, explicou que o plano visa o reforço do “treino e a instrução contínua” nas corporações.

A formação à distância será uma nova vertente a desenvolver no âmbito do novo plano, que permitirá reduzir a duração dos cursos. As novas tecnologias serão também adoptadas em acções com simuladores, que possibilitam recriar cenários e diferentes tipos de sinistro nos planos de formação dos agentes de comando.

O presidente da ENB revelou que o plano prevê acções de formação específicas com peritos internacionais, em colaboração com organismos congéneres de Espanha e França. Está também planeado um maior recurso à colaboração com especialistas e instituições universitárias portuguesas.

Até ao final de Junho, a ENB tem planeada a realização de 244 acções de formação na área dos incêndios florestais, envolvendo 3900 operacionais.

“A qualidade da formação dos bombeiros portugueses há muito que é boa”, defendeu José Pereira, recusando a existência de “facilitismo” no planeamento formativo dos agentes de socorro. No entanto, o responsável espera que o novo plano contribua para reforçar a componente da instrução.

Miguel Macedo também destacou a maior preocupação com o treino e instrução, como forma de reforçar as competências nos corpos de bombeiros. Em termos de material, o ministro espera poder assegurar a distribuição até meados do ano de novos equipamentos de protecção individual para os bombeiros, num investimento de sete milhões de euros.

O presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Jaime Marta Soares, mostrou-se satisfeito com “a evolução” patente no novo plano, mas recusou que os bombeiros não possuam hoje a formação adequada para prestar o socorro às populações.

Os fogos florestais, notou Marta Soares, representam apenas “seis por cento da actividade dos corpos de bombeiros” e a gestão da floresta terá de ser assumida como uma prioridade para minimizar os danos que o país tem sofrido nesta área.

Fonte: Lusa/SOLLido por: 255 pessoas


About -

Todos os direitos reservados Associação Amigos bombeirosdistritoguarda.com ® 2004-2014
Todas as imagens que reproduzimos no site, são propriedade da Associação Amigos bombeirosdistritoguarda.com
Contacto - geral@bombeiros.pt