Meios aéreos ajudam bombeiros logo pela madrugada

0

_MG_9592Hoje durante a madrugada, o fogo ameaçou algumas habitações e dezenas de pessoas foram retiradas de casa por precaução. O distrito do Porto é o que tem mais fogos, tendo sido accionado o plano distrital de emergência.

O combate às chamas nos concelhos de Arouca e Vale de Cambra, distrito de Aveiro, obriga ao reforço de meios. Esta segunda-feira de manhã entram em acção meios aéreos para controlar as chamas.

Ao início da madrugada, o fogo tinha cinco frentes, mas entretanto dispersou e aproximou-se de habitações, obrigando à retirada de pessoas. Há ainda algumas casas isoladas em risco.

O vento continua a dificultar o trabalho dos mais de 200 operacionais no terreno.

“Todos os agentes de Protecção Civil estão extremamente empenhados em resolver este teatro de operações, mas temos situações adversas no terreno que nos dificultam: falta de acesso, condições meteorológicas adversas previstas e falta de limpeza da floresta muito próximo das habitações”, refere à Renascençao comandante distrital da Protecção Civil de Aveiro, José Bismarck.

Este incêndio teve início no sábado, às 19h06, e é actualmente o mais preocupante.

Mas é o distrito do Porto que concentra maior número de fogos activos, num total de 46. A Comissão Distrital de Operações de Socorro decidiu, por isso, accionar o Plano Distrital de Emergência (PDE), um instrumento que nunca tinha sido accionado antes.

O incêndio no concelho de Lousada foi entretanto controlado.

Na última noite, o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, apelou à consciência dos cidadãos, para que evitem comportamentos de facilitismo, e destacou que um terço dos incêndios começa durante a noite.

34 concelhos em risco máximo de incêndio

Os distritos de Faro, Santarém, Coimbra, Guarda, Castelo Branco, Coimbra, Viseu, Porto, Vila Real, Braga e Viana do Castelo têm, esta segunda-feira, um total de 34 concelhos com risco máximo de incêndio.

São eles: Monchique (Faro), Mação, Sardoal (Santarém), Oleiros, Vila de Rei, Sertã (Castelo Branco), Pampilhosa da Serra, Góis, Oliveira do Hospital (Coimbra), Figueiró dos Vinhos, Pedrógão Grande, Castanheira de Pera e Miranda do Corvo (Coimbra), Guarda, Sabugal, Gouveia, Celorico da Beira, Trancoso, Fornos de Algodres e Aguiar da Beira (Guarda).

Os concelhos Moimenta da Beira, Vila Nova de Paiva, Castro Daire, São Pedro do Sul, Castelo de Paiva e Marco de Canaveses, Baião e Valongo, Vila Pouca de Aguiar, Ribeira de Pena, Celorico de Basto, Vieira do Minho e Póvoa do Lanhoso e Ponte da Barca também se juntam ao grupo.

Em risco muito elevado e elevado, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou vários concelhos de todos os distritos de Portugal continental.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, que podem variar entre reduzido e máximo.

O IPMA prevê para hoje tempo quente com céu limpo, vento fraco a moderado do quadrante leste, rodando para norte a partir da tarde, soprando moderado a forte nas terras altas e pequena descida da temperatura máxima no litoral Norte e Centro.

Na Madeira, prevê-se tempo quente com céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade nas vertentes norte e na ilha de Porto Santo até ao início da manhã e vento moderado a forte de norte rodando para nordeste, soprando forte com rajadas até 80 quilómetros por hora nas terras altas e pequena subida de temperatura.

Já nos Açores, a previsão é de períodos de céu muito nublado com boas abertas, aguaceiros fracos e pouco frequentes durante a madrugada e manhã e vento fraco a bonançoso.

Quanto às temperaturas, em Lisboa vão oscilar entre 22 e 36 graus, no Porto entre 24 e 35, em Braga entre 18 e 41, em Viana do Castelo entre 20 e 34, em Vila Real entre 20 e 37, em Viseu entre 22 e 38, em Bragança entre 17 e 36, na Guarda entre 19 e 34, em Coimbra entre 24 e 39, em Castelo Branco entre 24 e 39, em Portalegre entre 24 e 38, em Santarém entre 20 e 41, em Évora entre 19 e 41, em Beja entre 21 e 40, em Faro entre 23 e 36, no Funchal entre 24 e 34, em Ponta Delgada, Horta e Santa Cruz das Flores entre 21 e 27.

RR

Sobre o autor

Sérgio Cipriano

Sérgio Cipriano

Natural de Gouveia e licenciado em Comunicação Multimédia pelo Instituto Politécnico da Guarda. Ingressou nos bombeiros com apenas 13 anos de idade e hoje ocupa o cargo de sub-chefe. É um dos fundadores da Associação Amigos BombeirosDistritoGuarda.com e diretor de informação do portal www.bombeiros.pt, orgão reconhecido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social.