Governo abre processo para obras nos quartéis

0

85 aniversarioAniversário Na festa dos 85 anos dos Bombeiros de Esmoriz, o secretário de Estado deixou promessas, boas notícias e a possibilidade de obras nos quartéis.

Promessas e algumas boas notícias foram deixadas, ontem, pelo secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes , durante a festa dos 85
anos dos Bombeiros de Esmoriz, uma das quais diz respeito à requalificação e ampliação não só das instalações da corporação aniversariante como
do quartel dos bombeiros de Ovar.

Na sessão solene, o presidente da Câmara, Salvador Malheiro, lamentou o chumbo das candidaturas para aquelas duas obras, mas irá insistir. Conforme
disse ao Diário de Aveiro, após a sessão solene, recusa o argumento para a reprovação o facto de as duas corporações não se encontrarem em área de
risco elevado de incêndios florestais.
Segundo o autarca, de facto, as corporações não se enquadram nesse critério porque a autarquia “fez o trabalho de casa”, nomeadamente em termos
de limpeza das áreas florestais e, por isso, deixou de se inscrever nas áreas de risco máximo.

Mas, para Salvador Malheiro, não é por isso que as candidaturas devem ser reprovadas.
Porta aberta para quartéis O secretário de Estado deixou uma porta aberta. Conforme disse, o primeiro aviso para o acesso a fundos comunitários,
do quadro “Portugal 2020”, relativo a edifícios, será conhecido no próximo dia 17 e essa é uma data a que a Câmara irá estar atenta.
O próprio secretário de Estado criticou a gestão dos fundos comunitários. No total, para Portugal serão atribuídos 25 mil milhões de euros, mas desde
2014 que “o dinheiro está parado”. Sobre este assunto, o presidente da direcção da corporação de Esmoriz, João Oliveira, espera que os fundos comunitários
“não acabem todos no mesmo bolso como tem sido habitual”.
Ainda em termos financeiros respondendo à “Lei do Financiamento” referida pelo presidente do Conselho Executivo da Liga de Bombeiros Portugueses
LBP, Jaime Marta Soares, o secretário de Estado disse que estava indicada uma verba de dois milhões de euros. Acrescentou ainda a isenção do imposto
sobre veículos das frotas das corporações e a renovação do parque automóvel que “vai começar”.
O capital humano 

O presidente da direcção alertou para o risco de “perder o mais importante”, o capital humano se não for alcançado o tão discutido “estatuto social”
para os bombeiros voluntários.
Uma questão importante para “contrariar a desmotivação”, disse. “É necessário que quando vão para o terreno não se sintam condenados a serem os
parceiros pobres ao lado dos profissionais, pois todos eles estão atentos, fazem as suas contas e não são cegos”, frisa.
Nesta área, o secretário de Estado referiu-se à reposição da contagem do tempo de reforma e isenção do pagamento das taxas moderadoras. Mostrou-se
ainda “disponível” para discutir um aumento da contribuição da remuneração diária e do cartão social. Da parte da Câmara, a autarquia está a trabalhar
para as apólices de seguro.

Equiparação

No âmbito do INEM, Jaime Marta Soares reclamou ainda a diferenciação entre os bombeiros e os “técnicos especiais de ambulância”, mas o secretário
de Estado garantiu que os bombeiros serão “equiparados”. O responsável da LBP reivindicou ainda uma representação dos bombeiros, no Conselho Directivo
do INEM, propondo a figura de um director não executivo, sem remuneração.

Concelho “complicado”

Apesar de a corporação ter “instalações devidamente equipadas”, “bons equipamentos de protecção individual” e um “parque de viaturas à altura das
necessidades humanitárias”, tal como disse o presidente da direcção, o concelho de Ovar é uma “realidade complicada”, segundo Salvador Malheiro,
com 50 quilómetros quadrados de área, 15 quilómetros de costa e 55 mil habitantes, apontando para as dificuldades de actuação na floresta, na ria e no mar,
os problemas da erosão costeira, as inundações de habitações e as dificuldades criadas com o escoamento de águas pluviais. Feitas as contas, a autarquia
aplica 220 mil euros por ano na Protecção Civil considerando esta área um vector estratégico da acção autárquica.
Momento para agradecimentos
O aniversário também foi um dia de agradecimentos, feitos pelo presidente da direcção nomeadamente às juntas de Freguesia de Esmoriz, Maceda e
Cortegaça, além de empresas e particulares, que têm ajudado a corporação.
Outros momentos altos do aniversário foi a bênção de uma nova viatura e equipamentos, a atribuição, entre outras distinções, do Crachá de Ouro da
Liga dos Bombeiros Portugueses ao chefe Joaquim Longo, e Fenix de Honra ao comandante Jacinto Oliveira, bem como as condecorações em parada e os
desfiles.

Fonte: Diário de Aveiro

Sobre o autor

Paulo Reis

Paulo Reis

É Natural e residente em Esmoriz, a sua vida profissional está ligada à indústria automóvel nestes últimos 18 anos como CAD Designer. É um dos fundadores da Rádio Voz de Esmoriz, onde atualmente, apresenta o programa de rádio “Bombeiros em Missão”. Está ligado desde tenra idade aos Bombeiros de Esmoriz onde fez parte da orquestra do Grupo Cénico e hoje, ocupa o posto de Bombeiro de 1ª. É na atualidade responsável pelo Grupo de Comunicação & Imagem da corporação e integrou a equipa do portal bombeirosdeportugal.com.