Federação quer bombeiros entregues aos bombeiros

0

A Federação dos Bombeiros do Algarve veio a público, passados oito dias dos incêndios de Tavira/São Braz de Alportel, agora que estão «acalmados alguns dos ânimos e aguardando-se pelo resultado do inquérito oficial», prestar publicamente o agradecimento a todos os elementos dos Corpos de Bombeiros que combateram naquele sinistro, «evidenciando um elevado grau de abnegação e de entrega, demonstrando todos eles sem exceção um grau de profissionalismo irreparável».

No seu comunicado, reconhece a Federação, que «lamentavelmente poderão os bombeiros do Algarve ter ficado reféns de situações exteriores, contra as quais nada podem fazer, pois no teatro das operações dependem de uma estrutura tentacular de proteção civil, na qual são meros executantes», por isso, afirma a direção daquele organismo, «já vai sendo tempo dos bombeiros serem entregues aos bombeiros».

A estrutura federativa dos bombeiros agradeceu também «a todos os cidadãos anónimos que de forma voluntária ajudaram no teatro das operações os nossos bombeiros a debelar o fogo e, a todos os outros que se disponibilizaram a fornecer alimentos e outros consumíveis para serem entregues aos soldados da paz. A todos o nosso muito obrigado e bem hajam».
Adiantam na mesma nota pública que «lamentavelmente quem mais sentiu o flagelo do fogo foram os residentes bem como os proprietários dos terrenos ardidos, sabendo nós que estes prejuízos são irreparáveis e que o seu futuro não é nada risonho pelo que queremos também, enaltecer a disponibilidade de todos os que, organizados ou não, contribuíram e contribuem para tentar minorar o sofrimento das verdadeiras vitimas deste incêndio. Não devemos, nem podemos falar mal dos nossos bombeiros que estiveram neste calamitoso incêndio, independentemente da categoria, porque todos eles de forma abnegada e sem descanso nunca regatearam esforços nem pouparam energias para combater o fogo. Os nossos homens deram sempre resposta a tempo e horas ao solicitado pelo comando das operações, comando este exercido por elementos da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC)».

Fonte: Barlavento

Sobre o autor

Sérgio Cipriano

Sérgio Cipriano

Natural de Gouveia e licenciado em Comunicação Multimédia pelo Instituto Politécnico da Guarda. Ingressou nos bombeiros com apenas 13 anos de idade e hoje ocupa o cargo de sub-chefe. É um dos fundadores da Associação Amigos BombeirosDistritoGuarda.com e diretor de informação do portal www.bombeiros.pt, orgão reconhecido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social.