Esposende aprovou Plano Operacional Municipal para 2016

0

IMG_1622Este plano é uma ferramenta estratégica para a defesa da Floresta contra incêndios, articulando os meios, recursos, áreas de atuação e responsabilidades de diversas entidades.

No POM estão definidas as ações de vigilância, fiscalização, primeira intervenção, combate, rescaldo e vigilância pós-incêndio a desenvolver pelos vários intervenientes, nomeadamente a Câmara Municipal, os Bombeiros Voluntários de Esposende, os Bombeiros Voluntários de Fão, o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas, a Guarda Nacional Republicana e a Associação Florestal do Cávado.

Ter todos os meios e recursos inventariados e operacionais antes do início do período crítico de incêndios é determinante para uma preparação prévia, pelo que foi feito o levantamento da rede viária florestal e da rede de pontos de água operacionais, estando também identificadas as zonas de oportunidade ao combate, assim como outros meios complementares ao combate.

Durante todo o ano, a Câmara Municipal promove a beneficiação de caminhos florestais e a limpeza de faixas de gestão de combustíveis na floresta, através da atividade da equipa de sapadores florestais. Sempre que surjam dúvidas acerca de limpezas de terrenos, realização de queimas e queimadas, ou lançamento de fogo-de-artifício estas poderão ser esclarecidas junto do Gabinete Técnico Florestal da Câmara Municipal.

Fonte: Serviço de Comunicação e Imagem da CME

Sobre o autor

Ana Romaneiro

Ana Romaneiro

Nasceu em Évora onde cresceu e estudou. Desde muito cedo que partilha o gosto pela informática, que, a levou a tirar um curso profissional técnico de Gestão de Sistemas Informáticos, profissão que exerce na atualidade. A sua ligação aos bombeiros surge aos 13 anos ao entrar na fanfarra dos Bombeiros de Évora, onde permaneceu até 2013. Na atualidade integra a corporação os Bombeiros de Reguengos de Monsaraz, no posto de bombeira de 2º.