Câmara de Penafiel vai dar seguro de saúde a mais de 300 bombeiros voluntários

0

E criar uma equipa especializada de rescaldo. Presidente da autarquia anunciou medidas de apoio aos soldados da paz durante as cerimónias do 93.º aniversário dos Bombeiros Voluntários de Entre-os-Rios. Antonino de Sousa deixou ainda a garantia de que o município vai assumir a comparticipação da componente nacional de uma candidatura da corporação a fundos comunitários.

A Câmara Municipal de Penafiel vai integrar uma nova medida no regulamento de apoio social aos bombeiros do concelho. “Vamos disponibilizar a todos os bombeiros voluntários do concelho, mais de 300, um seguro de saúde para que possam recorrer a clínicas e hospitais privados”, anunciou Antonino de Sousa durante as cerimónias do 93.º aniversário dos Bombeiros Voluntários de Entre-os-Rios. Recorde-se que este regulamento já prevê vários benefícios para os soldados da paz, como o reembolso de taxas moderadoras quando os bombeiros recorrem às urgências hospitalares.

O autarca, que elencou o vasto trabalho realizado no âmbito da Protecção Civil no último ano, adiantou ainda que o município vai criar uma equipa especializada de rescaldo, numa “iniciativa pioneira a nível nacional”.

Em resposta ao apelo do presidente da corporação de Entre-os-Rios, Antonino de Sousa deixou ainda a garantia de que a câmara vai assumir os 15% da componente nacional de uma candidatura aos fundos comunitários, de 190 mil euros, para adquirir uma viatura de combate a fogos florestais.

PRESIDENTE DA DIRECÇÃO PEDIU APOIO NA AQUISIÇÃO DE VIATURA

Os 93 anos de existência da Associação Humanitárias dos Bombeiros Voluntários de Entre-os-Rios foram assinalados com o tradicional desfile dos bombeiros e uma sessão solene em que foram entregues diplomas e certificados a jovens bombeiros e ainda promovidos alguns soldados da paz.

Durante os discursos, o presidente da direcção da corporação, lembrou que os custos das corporações “são, cada vez mais, elevados e as receitas menores”. “Temos um parque de viaturas de combate a incêndio envelhecido e decidimos avançar com uma candidatura aos fundos comunitários”, referiu António Fontes. O custo do investimento na viatura de combate a fogos florestais rondará os 190 mil euros, sendo a comparticipação máxima de 85%. “Lamentamos que a câmara não ajude no processo burocrático de realização das candidaturas”, disse o dirigente, apelando a um apoio da autarquia no pagamento dos 15% que ficam a cargo da associação humanitária.

A resposta não tardou. “O município de Penafiel vai continuar a apoiar, como sempre tem feito, as corporações de bombeiros do concelho. Mesmo quando fizemos cortes, mantivemos sempre os apoios. Esta é uma área em que não se pode cortar”, afirmou Antonino de Sousa.

O autarca, disse ainda que, já é habitual a câmara atribuir apoios extraordinários aos bombeiros, como acontece no caso de candidaturas a fundos comunitários. “Nesta candidatura efectuada, a câmara vai assumir a responsabilidade da comparticipação da componente nacional. Com essa questão não se preocupem”, tranquilizou o edil.

 

CONCELHO VAI TER EQUIPA ESPECIALIZADA DE RESCALDO

Antes disso, o presidente da Câmara Municipal de Penafiel aproveitou para falar do trabalho feito no último ano, no domínio da Protecção Civil. Destacou a aprovação do Plano Municipal de Emergência da Protecção Civil; o facto de o Serviço Municipal de Protecção Civil estar dotado de importantes equipamentos; a conclusão do Plano Municipal de Defesa da Floresta contra Incêndios; e ainda a beneficiação de cerca de 40 quilómetros de caminhos florestais.

Mas Antonino de Sousa quis ainda dar duas novidades. A primeira passa pela criação de uma equipa especializada de rescaldo no concelho. “Um dos problemas que temos no combate aos fogos florestais, porque há muitas solicitações e é preciso ir acudir a outras frentes, são os reacendimentos”, lembrou o autarca, definindo esta iniciativa como “pioneira a nível nacional”.

Por outro lado, no âmbito do regulamento de apoio aos bombeiros, que prevê vários benefícios sociais, o município vai criar uma nova medida. “Vamos disponibilizar a todos os bombeiros voluntários do concelho, mais de 300, um seguro de saúde para que possam recorrer a clínicas e hospitais privados. Basta ter uma farda e estar ao serviço da comunidade para ter este seguro”, adiantou o presidente da câmara.

 

“OS INCÊNDIOS FLORESTAIS SÃO SÓ 5% DO TRABALHO QUE OS BOMBEIROS FAZEM”

Presente na cerimónia, em representação da Liga dos Bombeiros Portugueses, José Campos aproveitou para desmistificar algumas questões. “Toda a gente fala de incêndios florestais, mas estes são só 5% do trabalho que os bombeiros fazem. Esquecem-se das vidas que salvamos, dos bens que protegemos. É uma ingratidão”, começou por afirmar.

O também comandante dos Bombeiros Voluntários da Lixa lembrou que o INEM é a instituição que tem por missão garantir a emergência pré-hospitalar “mas só faz 15% das emergências do país”. “80% são feitas pelos bombeiros e 5% pela Cruz Vermelha Portuguesa”, clarificou. “Fazemos 1,2 milhões de emergências pré-hospitalares por ano”, acrescentou José Campos, salientando que é preciso aproveitar estes momentos para lembrar à comunidade que é preciso apoiar mais os bombeiros.

Fonte: overdadeiroolhar

Sobre o autor

Pedro Fonseca

Pedro Fonseca

É natural e residente em Gouveia, a sua vida profissional está ligada nestes últimos 16 anos à área de consultadoria em seguros. Em 2013 foi fundador da empresa LICATEL - Soluções em Telecomunicações onde é sócio/gerente. Desde tenra idade ingressou nas camadas jovens dos Bombeiros de Gouveia tendo permanecido alguns anos nos quadros, ultimamente passou pela Direcção da referida Instituição dinamizando a área de comunicação e imagem. Frequentou a licenciatura em Gestão de Marketing no IPAM de Aveiro. Passou por diversas Associações de Gouveia dando o seu contributo.