Bombeiros contra “estrada da morte”

0
Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

A Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) denuncia a situação insustentável vivida no IP3 apelidando-o de verdadeira “estrada da morte”, tal é o número e a dimensão da sinistralidade que ali tem ocorrido.

A LBP exige medidas urgentes e concretas que permitam diminuir, senão anular, os índices de sinistralidade que se mantém lamentavelmente e há muito tempo no IP3.

A LBP compreende e acompanha o sentimento de tristeza dos corpos de bombeiros que prestam socorro ao longo daquela via, cuja capacidade de prontidão e intervenção é inquestionável, mas que, perante as proporções, a frequência e os resultados em mortes registadas nos sinistros ali ocorridos, e que concluem só ser possível diminuir a sinistralidade com o necessário investimento na própria via e nas condições de circulação. Os utentes do IP3 e as populações locais, defende a LBP, merecem muito mais do que está feito e ao Estado cabe a responsabilidade de garantir isso.

A LBP reforça que não deixará de denunciar a situação até que se altere aquele estado de coisas, bem comparável também ao que ocorre diariamente na EN 125, no Algarve, e saúda os bombeiros que, perante tanta adversidade, continuam a lutar denodadamente pela prestação do socorro.

 

Sobre o autor

Sérgio Cipriano

Sérgio Cipriano

Natural de Gouveia e licenciado em Comunicação Multimédia pelo Instituto Politécnico da Guarda. Ingressou nos bombeiros com apenas 13 anos de idade e hoje ocupa o cargo de sub-chefe. É um dos fundadores da Associação Amigos BombeirosDistritoGuarda.com e diretor de informação do portal www.bombeiros.pt, orgão reconhecido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social.