Área ardida mais do que duplicou este ano em relação a 2011

0

A área ardida mais do que duplicou este ano em relação ao mesmo período de 2011, tendo os incêndios florestais consumido até dia 15 deste mês 98.698 hectares, segundo dados provisórios divulgados esta sexta-feira.
O relatório provisório de incêndios florestais do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) indica que, entre 01 de Janeiro e 15 de Setembro, foram registadas 19.571 ocorrências de fogo que resultaram em 98.698 hectares de florestas ardidos.
Em relação ao mesmo período do ano passado, os incêndios florestais aumentaram um quarto e a área ardida aumentou 130 por cento, quando se registaram 15.730 fogos e 42.756 hectares de área ardida.
O relatório adianta que este ano se registaram mais 207 ocorrências de fogo e arderam menos 33.666 hectares do que os valores médios dos últimos dez anos.
O documento sublinha que o maior fogo de 2012, registado até 15 de Setembro, teve início a 18 de Julho no concelho de Tavira e afectou 21.437 hectares de espaços florestais, cerca de 22 por cento da área florestal ardida este ano.
O ICNF refere também que deflagraram, até 15 de Setembro, 125 grandes incêndios (quando a área afectada é igual ou superior a 100 hectares), correspondendo a 71 por cento da área ardida.
Os fogos com mais área florestal ardida ocorreram no início do mês de Setembro e deflagraram nos concelhos de Ourém (4.130 hectares), Seia (2.480) e Viseu (2.000).
De acordo com os dados provisórios, o maior número de ocorrências se verificou este ano no distrito do Porto, com 4.441 registos, dos quais cerca de 91 por cento correspondente a fogachos.
Distritos como Aveiro, Braga, Vila Real e Viseu apresentam também um número de ocorrências superior ao milhar, sendo os fogachos superiores aos incêndios florestais, enquanto Guarda e Bragança são os únicos onde se registaram mais incêndios florestais.
Já o distrito de Faro é o que apresenta maior área ardida (22.181 hectares), sendo que 97 por cento resulta do incêndio de Tavira.
Os incêndios florestais consumiram ainda, nos distritos de Viseu e Bragança, 12.710 e 11.084 hectares de floresta, respectivamente.
O relatório salienta que Portugal Continental esteve em grande parte do período de Janeiro e Abril, em situação de seca, o que contribuiu, em parte, para os elevados valores do número de ocorrências e área ardida registados nesses meses.
Em Fevereiro e Março, registaram-se 3.698 e 4.286 ocorrências de fogo, respectivamente, tendo-se situado a área ardida em Fevereiro nos 12.4o da MAnha31 hectares e em Março nos 21.458.
O documento diz ainda que os meses de Março e Setembro registaram o maior número de ocorrências de fogo, enquanto a área ardida foi superior em Julho e Setembro.
Entre 01 e 15 deste mês registaram-se 3.680 ocorrências e arderam 25.154 hectares.

Fonte: Correio da Manhã

Sobre o autor