ANPC alerta para o frio e neve em Portugal

0

neveA Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), através da sua página no Facebook alertou hoje para o frio e neve que deverá cair hoje em Portugal. Segundo a informação a que o portal bombeiros.pt teve acesso, a ANPC destaca ainda,  a previsibilidade do agravamento das condições meteorológicas para os próximos dias.

Publicamos aqui na integra as suas informações e recomendações.



1. SITUAÇÃO

Situação Meteorológica:
No seguimento de contacto com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) realizado hoje pelo Comando Nacional de Operações de Socorro (CNOS) da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), e de acordo com informação meteorológica atualizada, salienta-se o previsível agravamento das condições meteorológicas para os próximos dias, destacando-se:

Acentuado arrefecimento noturno com o consequente desconforto térmico, entre moderado a elevado, nas regiões do Norte e Centro do país, podendo as temperaturas mínimas situar-se entre os -3ºC e 3ºC.
Precipitação sob a forma de neve nas cotas acima dos 1000m (com acumulados a chegarem até 5 cm), em especial nas serras da Peneda-Gerês, do Marão, de Montesinho, de Montemuro e da Estrela, prevendo-se já para o final do dia de hoje (17fev) a descida da cota para os 600 m e a passagem da precipitação a regime de aguaceiros pouco frequentes.
Acompanhe as previsões meteorológicas através do sítio www.ipma.pt

2. EFEITOS EXPECTÁVEIS

Face à situação meteorológica acima descrita, podem ocorrer os seguintes efeitos:
Intoxicações consequentes da inalação de gases devido à inadequada ventilação das habitações resultante do aquecimento com lareiras e braseiras;
Incêndios em habitações em resultado da má utilização de lareiras e de braseiras ou de avarias em circuitos elétricos;
Necessária a especial atenção aos grupos populacionais mais vulneráveis, nomeadamente crianças, idosos e pessoas portadoras de patologias crónicas, bem como população sem-abrigo;
Piso rodoviário escorregadio, eventual formação de lençóis de água ou acumulação de neve ou gelo.

3. MEDIDAS PREVENTIVAS

A ANPC recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, com especial destaque para as zonas historicamente mais vulneráveis, recomenda a divulgação e observância rigorosa das principais medidas autoproteção que seguem:
Evite a exposição prolongada ao frio e às mudanças bruscas de temperatura;
Use várias camadas de roupa, folgada e adaptada à temperatura ambiente;
Proteja as extremidades do corpo (usando luvas, gorro, meias quentes e cachecol);
Ingira sopas e bebidas quentes;
Evite ingerir bebidas alcoólicas, que proporcionam uma falsa sensação de calor;
Tenha especial atenção à proteção dos trabalhadores que exercem a sua atividade no exterior, nomeadamente quanto ao vestuário que envergam e aos esforços físicos – que não devem ser excessivos – que realizam;
Tenha especial atenção aos aquecimentos que funcionam por combustão (braseiras e lareiras), que podem causar intoxicação e levar à morte;
Faça uma adequada ventilação das habitações; não sendo possível, evite o uso de braseiras ou lareiras;
Evite o uso de dispositivos de aquecimento enquanto dorme, não se esquecendo sempre de desligar aqueles aparelhos antes de se deitar;
Tenha especial atenção na condução, especialmente em locais da estrada onde se forme gelo e neve; adote uma condução defensiva;
Tenha especial atenção com pessoas necessitadas, da família e vizinhos, nomeadamente por serem idosas ou quando vivam em situação de maior isolamento;
Esteja atento às informações da meteorologia e às indicações difundidas pelas autoridades de proteção civil e as forças de segurança.

 

 

Sobre o autor

Sérgio Cipriano

Sérgio Cipriano

Natural de Gouveia e licenciado em Comunicação Multimédia pelo Instituto Politécnico da Guarda. Ingressou nos bombeiros com apenas 13 anos de idade e hoje ocupa o cargo de sub-chefe. É um dos fundadores da Associação Amigos BombeirosDistritoGuarda.com e diretor de informação do portal www.bombeiros.pt, orgão reconhecido pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social.