Primeira unidade de formação de bombeiros do Alto Minho abre em Paredes de Coura

0

Primeira-unidade-formacao-de-bombeiros-do-Alto-Minho-abre-em-Paredes-de-Coura

A primeira Unidade Local de Formação (ULF) de bombeiros do distrito de Viana do Castelo vai começar a funcionar até final do ano em Paredes de Coura, num investimento global de cerca de 200 mil euros.

O presidente da Federação Distrital de Bombeiros de Viana do Castelo (FDBVC), Luís Brandão Coelho, explicou que a nova estrutura “vai ser construída por fases, sendo que a primeira, prevista para o final do ano, será o centro de formação onde será ministrado o treino em incêndios urbanos e industriais”.

“O investimento global atinge os 200 mil euros, mas a várias valências da ULF vão ser construídas à medida das necessidades formativas”, sublinhou o responsável, destacando que aquela estrutura “será a primeira do país a ser gerida por uma federação distrital de bombeiros”.

“Os custos da ULF vão ser suportados pela Câmara de Paredes de Coura, e pelas outras nove autarquias do distrito de Viana mas vai ser gerida pela federação. Além da formação de bombeiros pretendemos rentabilizar o espaço, abrindo-o às empresas da região que queiram formar as suas equipas de proteção e segurança”, disse.

No distrito de Viana do Castelo há 12 corporações de bombeiros, sendo que Viana do Castelo detém, além dos bombeiros voluntários, a única estrutura profissional da região. Segundo números da FDBVC, existem, no quadro ativo cerca de 600 bombeiros, mas o número total de voluntários atinge os 1.500.

As ULF, lançadas em 2009 pela Escola Nacional de Bombeiros (ENB), visam “minimizar a deslocação dos bombeiros àquela escola para obtenção de formação, rentabilizando a formação ministrada com menores custos para todos os intervenientes, na maioria voluntários, proporcionando-lhes horários de formação compatíveis com as suas atividades profissionais”.

O projeto da nova estrutura a criar no Alto Minho vai ser apresentado, na sexta-feira, às 18h00, em Paredes de Coura.

O presidente da Câmara, Vítor Paulo Pereira sublinhou que a ULF “vem preencher uma lacuna do distrito que passa a ter uma estrutura de formação de bombeiros para que estes possam cumprir melhor o seu papel”.

“Cada vez mais toda a ação pressupõe formação e competências para que o papel de intervenção de cada um seja cada vez melhor”, reforçou o autarca.

A ULF vai ser construída num terreno com cerca de 12 mil metros quadrados, situado na União de freguesias de Paredes de Coura e Resende, cedido pela Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários daquela vila.

Aquela unidade vai ser edificada a 2,5 quilómetros do centro de Paredes de Coura e com acesso pela Estrada Nacional (EN) 306, “num local afastado de edificações e com envolvente florestal e pontos de água”.

O projeto inclui ainda um outro terreno, cedido pelo conselho de baldios, onde está localizada uma pista todo o terreno, desativada há vários anos, e que vai ser reabilitada para “treino de condução fora de estrada, valências fundamentais para garantir uma formação adequada às características do distrito e às necessidades de todos os corpos de bombeiros”.

“Esta ULF é de extrema importância porque atualmente as exigências de formação são muito grandes e sem esta estrutura seria difícil conciliar a formação com a atividade profissional dos bombeiros, na maioria voluntários. Sem a UFL teriam que se deslocar à ENB ou a outros distritos que já dispõem desta estrutura, o que limitaria a formação”, frisou Luís Brandão Coelho.

As cerca de “meia centena” ULF existentes no país “resultam de protocolos de cooperação estabelecidos entre a ENB e as entidades detentoras de corpos de bombeiros”.

Fonte: O Minho

Sobre o autor

Ana Romaneiro

Ana Romaneiro

Nasceu em Évora onde cresceu e estudou. Desde muito cedo que partilha o gosto pela informática, que, a levou a tirar um curso profissional técnico de Gestão de Sistemas Informáticos, profissão que exerce na atualidade. A sua ligação aos bombeiros surge aos 13 anos ao entrar na fanfarra dos Bombeiros de Évora, onde permaneceu até 2013. Na atualidade integra a corporação os Bombeiros de Reguengos de Monsaraz, no posto de bombeira de 2º.