Cerca de 70 sapadores florestais do distrito participaram em acção de formação

0

Iniciativa decorreu no quartel dos Bombeiros Voluntários de Paredes e contou com 14 equipas de vários concelhos. Penafiel e Valongo marcaram presença.

O quartel dos Bombeiros Voluntários de Paredes recebeu, hoje, um encontro de Sapadores Florestais do Distrito do Porto. Cerca de 70 sapadores, e vários técnicos florestais, de 11 concelhos, participaram em acções de formação e também num exercício operacional.

Melhorar a capacidade de análise do comportamento do fogo; identificar situações de risco para prevenir acidentes e melhorar a intervenção ao nível do rescaldo foi o objectivo da formação. “É preciso garantir que há conhecimentos suficientes para que não estejam no sítio errado, à hora errada e com a estratégia errada”, explica o engenheiro Manuel Rainha, técnico especialista do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

14 equipas dos concelhos de Amarante, Baião, Marco de Canaveses, Felgueiras, Penafiel, Valongo, Gondomar, Vila Nova de Gaia, Vila do Conde, Trofa e Santo Tirso testaram a operacionalidade do equipamento ao início da tarde.

Durante o dia houve também formação sobre segurança, com exemplos práticos, sobre como ajudar a que haja menos reactivações de incêndios e também na área das comunicações, adiantou Silvino Sousa, coordenador de prevenção estrutural do ICNF e responsável operacional pelas equipas do distrito. “Os sapadores florestais dedicam-se à vigilância e prevenção de incêndios, participando também na primeira intervenção de combate ao fogo e nos rescaldos”, refere o paredense.

As equipas são constituídas por cinco elementos e estes profissionais, com formação específica, dedicam-se, ao longo do ano, a acções de silvicultura preventiva e também vigilância. Como conhecem o terreno dão depois apoio no combate aos incêndios.

Fonte: Verdadeiro Olhar

Sobre o autor

Ana Romaneiro

Ana Romaneiro

Nasceu em Évora onde cresceu e estudou. Desde muito cedo que partilha o gosto pela informática, que, a levou a tirar um curso profissional técnico de Gestão de Sistemas Informáticos, profissão que exerce na atualidade. A sua ligação aos bombeiros surge aos 13 anos ao entrar na fanfarra dos Bombeiros de Évora, onde permaneceu até 2013. Na atualidade integra a corporação os Bombeiros de Reguengos de Monsaraz, no posto de bombeira de 2º.